Vovôs arrebentam e mandam Azulinho pro espaço

Podem reclamar, espernear etc, mas Daniel Dentadura, Bayer é Bom e Edworld arrebentaram sábado no glorioso, e mais uma vez lotado, Palestra Itália. Tá certo que o jogo começou com um susto, num chute absurdo do tal de Marcelinho, que, tranqüilamente, nunca mais acerta outro desses na vida (aliás, incrível como o Palmeiras gosta de tomar golaços; este ano, já sofremos do Paraná. Figueirense, e ano passado, do Fluminense, que coisa!). Mas o time mostrou personalidade, e apoiado por sua imensa torcida que canta e vibra, virou o jogo ainda no primeiro tempo, com um gol de cabeça do Dentadura, pra variar numa cobrança de escanteio do Bayer.

O segundo veio depois de uma jogada bem tramada, onde o ex-jogador do Goiás tocou de calcanhar pro Edmundo mandar uma sapatada, com o fraco goleiro Mauro rebatendo. Daí, apareceu o senso de oportunismo do nosso Enilton, que pegou o rebote e cruzou na cabeça do Bayer. E, finalmente, o terceiro gol, uma pintura do nosso Edworld, com ele arrancando, tirando dois zagueiros azulinhos da jogada com uma finta de corpo, e tocando de biquinho de chuteira a la Romário, sem chances para o goleiro. Tá certo também que levamos um sufoco no início, que o nosso Diego Jack Johnson Cover fez três grandes defesas, mas a verdade é uma só. O Palmeiras jogou pro gasto e ganhou de novo, mostrando que aquele jogo contra o Santos foi um aborto da natureza, com direito a pane no time.

Teremos quatro jogos na seqüência e fora de casa (Cruzeiro, Santa Cruz, São Paulo em Presidente Prudente, e por fim, Grêmio). Teremos de, pelo menos, ganhar dois desses jogos, o que não acho que será tão difícil. O fundamental será ganhar o clássico, para nos dar moral. Mas o importante foi a vitória em casa, e não adianta a imprensa ficar alardeando em cima de briguinhas do elenco entre Edmundo e Juninho, porque nosso Porquinho está subindo e deixando pra trás muita gente, e isso é o que importa.