Vitória de virada em partida montanha russa

Uma verdadeira montanha russa de emoções. Eis uma boa definição para a partida de hoje entre Palmeiras e Vitória, na qual nosso amado alviverde imponente conseguiu uma sofrida vitória de virada, com direito a gol aos 46 do segundo tempo, defesas milagrosas de Marcos e uma etapa inicial digna de pesadelos por parte da equipe treinada por Vanderlei Luxemburgo. O time baiano valorizou muito nosso triunfo, pois jogou muito bem.

Como forma de provar, na prática, que nem sempre o esquema é o que determina um bom desempenho em campo, o Verdão entrou com um 4-4-2, como a maioria dos torcedores deseja. Só que, no primeiro tempo, tivemos uma performance terrível.

Os laterais Henrique e Jefferson pouco fizeram, Maurício Ramos e Danilo ficaram sobrecarregados, Pierre teve de jogar por si e pelo ainda fora de jogo Mozart, Cleiton Xavier e Diego Souza estavam pouco inspirados, e Keirrison não via a cor da boa, cabendo a Obina correr atrás da mesma. Enquanto isso, o Vitória esbanjava obediência tática, contra-ataques rápidos e dois ótimos jogadores, o meia Leandro Domingues e o lateral direito Apodi.

O time treinado por Paulo César Carpegiani teve pelo menos cinco chances claras de gol, sendo que uma, aos 40 minutos, em cabeçada de Roger que Marcos tirou quase de dentro do gol. Nenhum dos ângulos apresentados na tevê deu margem a cem por cento de certeza de se foi gol ou não.

Não foi surpresa logo a um minuto da etapa final o time baiano abrir o marcador, com Apodi aproveitando o rebote após nova defesa milagrosa de Marcos em chute forte de Leandro Domingues.

Aos 7 minutos, enfim Luxemburgo resolveu lembrar de seu talento para boas substituições, tirando Mozart para a entrada de Ortigoza. Logo a 10 minutos, Obina manda de bicicleta e quase faz gol. Aos 11, Jefferson, que deu a volta por cima e fez uma estupenda segunda etapa, cruzou forte para ótima intervenção do goleiro adversário.

Aos 17, Souza assume a vaga de Henrique, a tempo de colaborar com o gol de empate do Verdão, que começou em seus pés. A bola acabou com Cleiton Xavier, cujo lançamento preciso achou Ortigol, que não perdoou. Entre os 20 e os 27 minutos, Marcos se encarregou de dar mais um show de defesas, contando também com a colaboração do fraco Roger.

De quebra, Leandro Domingues ainda acertou a nossa trave. Aos 27, Deyvid Sacconi entrou no lugar de Keirrison, e fomos para cima do Vitória. Aos 46 minutos, quando o empate parecia inevitável, Cleiton Xavier cobrou escanteio com precisão e Maurício Ramos subiu muito, vencendo pela única vez na partida a forte defesa do Vitória. Bastou para nos garantir os três pontos nessa montanha russa futebolística.