Virada na raça contra o Sertãozinho

Quando a fome está brava, pão com manteiga e um pingado viram banquete. Eis uma boa definição para a suada, sofrida, dificílima vitória do Palmeiras na noite desta segunda (8) na Arena Barueri contra o Sertãozinho pelo placar de 3 a 2.

Foi sofrido, embora não precisasse. A equipe do Sertãozinho apresentou apenas muita vontade e muita limitação técnica desde o momento em que a partida teve início. Um time moldado para o rebaixamento.

O Verdão foi para cima, como seria de se esperar, embora errasse muitos passes. Aos 22 minutos, o domínio territorial se converteu em gol. Em lançamento milimétrico de Pierre, Lenny recebeu, livrou-se dos zagueiros e chutou de direita para abrir o marcador.

O jogo parecia fácil, mas, só para variar, ficou complicado. O adversário teve duas chances para empatar, aos 27 e 28, mas Marcos fez boas defesas. Deyvid Sacconi, por sua vez, cobrou bela falta para defesa do goleiro Gilberto O Retorno da Múmia, aos 32 minutos.

Mas, aos 40 minutos, após mais um passe errado, a bola sobrou para Rubens Cardoso (aquele!), que deu belo passe para Mendes. Esse preparou bem e mandou belo chute, que Marcos não conseguiu segurar. Empate na Arena Barueri.

Na entrada da etapa final, logo aos 2 minutos, Marcos rebate bola boba e Tiago Silvi cava um pênalti. O péssimo juiz caiu na dele, e Ricardo Lopes fez o segundo do time do interior aos 4 minutos. Nova tragédia parecia se desenhar.

Com as entradas de William e Daniel nos lugares de Wendel e Deyvid Sacconi, as coisas inicialmente mudaram. Para pior. Era pressão sem chutes a gol nem conclusões, exceto uma bicicleta de Robert aos 20 minutos que passou perto do gol de Gilberto.

A partir dos 30 minutos, a vontade passou a predominar, e o gás dos jogadores do Sertãozinho acabou. Aos 38 minutos, falha da zaga adversária caiu nos pés de Leo, que fez cruzamento perfeito pela direita de nosso ataque. Cleiton Xavier concluiu com precisão e empatou a partida.

Aos 43 minutos, Danilo recebe belo cruzamento de Daniel e iria virar o jogo quando Robert, fominha, atrapalhou e conseguiu evitar o gol salvador. O vexame surgia no horizonte.

Aos 48 minutos, Eduardo fez um dos melhores cruzamentos de sua vida, que encontrou Cleiton Xavier preparado para fuzilar Gilberto. Vitória, enfim. Quer um pedaço do meu pão com manteiga?

E que venha o Peixe com suas firulas… Vamos ver no que vai dar.


uol_logoClique aqui para ouvir a Rádio Mondo Palmeiras – Edição 169.