Verdão vence Boa e fatura a Série B com antecedência

Por Fabian Chacur

Com vitória tranquila sobre o Boa Esporte por 3 a 0 perante quase 20 mil torcedores nesta tarde de sábado (16) no estádio do Pacaembu, o Palmeiras garantiu com duas rodadas de antecedência o título de campeão do Brasileirão da Série B. Um ano após novo rebaixamento, o Alviverde Imponente levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima que se esperava dele.

Com uma escalação bastante longe da que o torcedor alviverde se habituou a ver na Série B, o Palmeiras penou um pouco na etapa inicial devido a três fatores básicos: o desentrosamento do time, a violência da marcação adversária e as saídas rápidas do ataque do time mineiro, comandadas pelo veteraníssimo Marcelinho Paraíba.

Aos 3 minutos, Alan Kardec cobra falta e a bola bate caprichosamente na trave. O Boa Esporte teve duas boas chances aos 5 e 6 minutos, com Fernando Prass fazendo bela defesa no segundo lance. Aos 27 minutos, Fernando Karanga cabeceia para fora. A partida parecia se complicar para o Palmeiras. Mas ficou na ameaça.

Após um início de partida nada animador, Felipe Menezes recebeu bela assistência de Wendel, dominou com habilidade e chutou forte, de perna esquerda. O goleiro Douglas até espalmou, mas não teve jeito. Um a zero Palmeiras. Logo a seguir, o Boa quase empata com Marcelinho Paraíba.

O Verdão deu o troco logo a seguir, em duas tentativas aos 31 minutos com Leandro e Egúren. Ciro Sena aos 37 minutos de cabeça e Marcelinho batendo falta aos 42 minutos deixaram novamente a equipe mineira em vias de marcar, mas ambas as finalizações foram para fora.

Com Charles no lugar de Wendel, o Palmeiras voltou melhor organizado e passou a não dar mais chances ao Boa Esporte, cujo fôlego parece ter acabado nos 45 minutos iniciais. Dessa forma, o segundo gol alviverde parecia questão de pouco tempo, e isso se concretizou aos 10 minutos, quando Leandro recebeu belo passe de Charles, driblou o goleiro e mandou a bola para o fundo das redes mineiras. Um golaço, dos mais belos da temporada alviverde.

A partir daí, o jogo entrou em clima de fatura encerrada, com Fernando Prass fazendo boa defesa aos 18 minutos em raro ataque do adversário e Felipe Menezes quase fazendo mais um aos 28 minutos. Aos 31 minutos, Egúren dá uma de meia-armador e lança Juninho que, de perna esquerda, manda uma bomba e amplia para 3 a 0 o marcador.

Fernandinho e Rondinelly entrariam ainda nas vagas de Felipe Menezes e Juninho para, como diriam os antigos, “ganhar o bicho”. Muito toque de bola com coral “olé” e um último lance de perigo aos 44 minutos, quando Fernando Karanga exigiu uma grande defesa de Fernando Prass. O juiz apitou e a festa, felizmente, começou.

AS NOTAS DOS JOGADORES DO PALMEIRAS

Fernando Prass– 8,0 – Pouco exigido, foi muito bem quando isso ocorreu. Tem panca de goleiro bom e atua a contento, não tem jeito.

Wendel – 6,0 – Muita garra, como de praxe, e ainda deu a assistência para o primeiro gol. Saiu no intervalo dando a vaga para Charles – 7,0 , que deu estabilidade ao meio-campo alviverde e deu o lindo lançamento que gerou o segundo gol do Verdão.

André Luiz – 6,0 – Jogou de forma simples, tipo “zagueiro-zagueiro”, e deu conta do recado.

Marcelo Oliveira – 5,5 -Na base da raça e de pouca técnica, conseguiu quebrar o galho como zagueiro.

Juninho – 6,0 – Foi muito esforçado e ainda fez um golaço, o segundo em três jogos. Rondinelly (sem nota) entrou no finalzinho e não teve tempo para nada, coitado…

Márcio Araújo – 6,5 – Partida atípica do meio-campista, que praticamente não errou passes e ainda acertou umas assistências. Milagre?

Egúren – 5,5 – Começou de forma meio atabalhoada, mas foi ganhando confiança durante a partida e ainda acertou belo lançamento que terminou no gol de Juninho.

Felipe Menezes – 7,0 – Outro pequeno milagre. Sua melhor partida no Verdão, com direito a um belo gol e a algumas assistências. Nem parecia o Sleep Menezes… Deu lugar a Fernandinho 5,0, que teve pouco tempo em campo mas fez algumas boas jogadas.

Leandro – 6,0 – Se no primeiro tempo não estava lá essas coisas, melhorou bem na etapa final e ainda fez um golaço, driblando o goleiro adversário.

Serginho – 8,0 – Deu trabalho durante toda a partida à defesa adversária, sofrendo várias faltas e dando bons passes. Só faltou um gol.

Alan Kardec – 5,5 – Discreto e abaixo do que pode fazer, embora tenha conseguido algumas finalizações perigosas e até uma bola na trave adversária.