Verdão luta pela vaga nas quartas de final

Após superar inúmeras dificuldades para conseguir se classificar para a fase de mata-matas da Taça Libertadores da Américas, o Palmeiras entra em campo hoje às 20h15 no estádio da Ilha do Retiro, em Recife, com o objetivo de despachar o Sport Recife e se qualificar para as quartas de final do mais importante torneio realizado nas Américas. O elenco treinou no estádio do ABC, em Natal, no Rio Grande do Norte, e ontem à noite chegou à cidade de Cabo de Santo Agostinho, que fica a 40 quilômetros de Recife. 

A chegada foi antecipada devido ao tempo chuvoso que anda prevalecendo na região. Como tem sido praxe nas últimas partidas, Vanderlei Luxemburgo não divulgou a escalação de forma antecipada. Uma possibilidade: Marcos, Wendel, Maurício Ramos, Danilo e Pablo Armero; Pierre, Marcão (Mozart ou Souza), Cleiton Xavier e Diego Souza; Willians (Mozart ou Souza) e Keirrison. Para o pessoal da imprensa que insiste em colocar o Sport como uma espécie de eterna asa negra na vida do nosso Alviverde Imponente, vale apresentar alguns dados, fornecidos pela assessoria de imprensa do Verdão. 

Em 45 partidas entre as duas equipes, vencemos 24, empatamos 9 e perdemos apenas 12, com 67 gols a favor e 48 contra. Como visitantes, a vantagem é semelhante, a nosso favor: 25 jogos, com 15 vitórias, 4 empates e 6 derrotas, 40 gols pró e 25 contra. A partida que inaugurou o estádio da Ilha do Retiro teve as duas equipes como protagonistas, e a vitória foi alviverde, pelo placar de 2 a 1, no dia 25 de maio de 1955.

De quebra, se eles nos eliminaram no ano passado da Copa do Brasil, nós fizemos o mesmo em 1998 (quando fomos os campeões do torneio), e de quebra faturamos a Copa dos Campeões de 2000 em cima deles, que tinham o glorioso Leão Tarja Preta de “treineiro”. E este ano, o time hoje treinado por Nelsinho Batista perdeu apenas duas partidas. Adivinhem para quem?