Verdão ganha no último minuto do Atlético Goianiense

Já ouviu falar de vitória conquistada no último lance? Na raça? No suor? Ou, se preferir, na bamba, como diria meu saudoso pai? Dane-se.

Pois foi assim que o Palmeiras venceu, na gelada noite desta quinta (29) e perante mais de 23 mil herois presentes no Palestra Itália, o Atlético Goianiense pelo placar de 1 a 0, gol de Cleiton Xavier cobrando penalidade máxima.

Com uma garoa fria e irritante para atrapalhar, o Palmeiras começou tentando tomar conta da partida. Aos 10 minutos, Cleiton Xavier mandou de bicicleta para fora. Lincoln, de longe o jogador mais ousado da equipe alviverde na etapa inicial, criou boa jogada aos 12 minutos e finalizou perto da meta adversária.

A primeira chance de gol da equipe goiana ocorreu aos 19 minutos em chute de Robston. Antes, aos 15, Diego Souza (mais uma vez apagado) tentou jogada que não deu certo.

O estreante Marcos Assunção fez boa cobrança de falta aos 28 minutos que exigiu o goleiro adversário. Ao perceber a dificuldade do Palmeiras em sair jogando e vendo as falhas especialmente de Edinho, no entanto, o Atlético Goianiense tentou pressionar em nosso campo defensivo.

Duas boas oportunidades dos comandados de Geninho marcaram essa fase da partida. Aos 31 minutos, Robston bate falta com força, Marcos rebate e a zaga manda para escanteio. Aos 39 minutos, nova chance que o time rubronegro desperdiça.

Os minutos finais foram todos do Verdão. Aos 42 minutos, Robert conclui ótima jogada do ataque e faz o gol, anulado pelo árbitro. Dos 43 aos 45 minutos, mais três boas oportunidades foram criadas pelo Palmeiras, sem êxito na hora das conclusões.

O início do segundo tempo teve como marca a tentativa do Atlético Goianiense de, novamente, pressionar o Palmeiras, conseguindo uma boa jogada com Marcão aos 7 minutos chutando pra fora. No entanto, o Verdão, com Marcos Assunção, bateu cinco escanteios consecutivos tentando o seu gol entre os 8 e os 9 minutos.

Se vinha tendo boa e segura atuação, exceto nas saídas com a bola nos pés (que nunca foi mesmo o seu forte), Marcos passou a brilhar intensamente a partir dos 12 minutos, fazendo a primeira de pelo menos cinco grandes defesas em chute de Rodrigo Tiuí.

Só para variar, o fraco árbitro Leonardo Gaciba deixou de dar um pênalti claro a favor do alviverde em bola na qual o jogador do time goiano pulou cortando a bola no melhor estilo de vôlei. Ele também não deu uma falta frontal à área deles.

Aos 18 minutos, Marcos Assunção, que teve uma estreia de média para boa, bateu falta para boa defesa do goleiro Márcio. Dois minutos depois, Marcos fez dois milagres consecutivos. Na seqüência, Robert chuta bola perigosa contra a meta adversária.

Aí, Antonio Carlos Zago tentou dar razão a Raul Bianchi, fazendo uma alteração totalmente equivocada ao tirar nosso único centroavante de fato e colocando Ewerthon em seu lugar, aos 21 minutos. Esse jogador perdeu gol incrível aos 24 minutos, em bom passe de Diego Souza, aliás, o que ele fez de melhor na partida.

Até os 32 minutos, o time treinado pelo glorioso Geninho criou pelo menos mais duas boas chances, incluindo um gol bem anulado de Marcão.

Nesse momento, Diego Souza dá seu lugar para Paulo Henrique, é vaiado e faz gestos obscenos para a torcida. Coisa feia!

O substituto do bravinho ao menos mostrou muito mais disposição e conseguiu algumas boas jogadas. Em uma delas, é deslocado na área. Pênalti que Gaciba, mais uma vez, prefere fazer que não viu.

Aos 46 minutos, um chute que é desviado no caminho quase engana Marcos. Aos 48 minutos, Paulo Henrique ia fazer o gol quando é puxado pelo atleta goiano. Desta vez, o juiz não teve como não dar.

Pênalti, que o discreto durante a partida Cleiton Xavier bateu com categoria, no melhor estilo goleiro para um lado, bola para o outro.

Na próxima quarta (5 de maio), o Palmeiras vai a Goiânia nas mesmas condições em que foi a Curitiba: o empate e qualquer derrota por um gol de diferença que não seja 1 a 0 nos dará a classificação para as semifinais da Copa do Brasil, sendo que perder por 1 a 0 levará a uma disputa por pênaltis.

O vencedor do duelo pegará quem sair da disputa entre Vitória e Vasco, sendo que a equipe baiana ganhou por 2 a 0 em casa e pode perder até por dois gols de diferença no Rio, na próxima semana, se por ventura fizer ao menos um golzinho.


********

Clique abaixo e ouça o Torpedo Verde, o boletim diário de Mondo Palmeiras.