Verdão empata no Paraná e avança na Copa do Brasil

Por muito pouco o Verdão não joga na privada uma classificação simples de ser confirmada. Com um jogador a mais desde os 15 minutos do primeiro tempo, o time vacilou, tomou um gol e por pouco não encara uma disputa nos pênaltis.

Felizmente, Lincoln nos livrou dessa. Um a um contra o Atlético-PR na Arena da Baixada na noite desta quarta-feira (21). Agora, aguardamos o vencedor do confronto entre Atlético Goianiense e Santa Cruz.

O primeiro tempo começou com o Palmeiras marcando o Atlético (PR) em seu campo ofensivo, e com lances de lado a lado.

Aos 6 minutos, Lincoln cruza em bola parada e Leo cabeceia para fora. Aos 9 minutos, é a vez de Robert dar a sua cabeçada nas mãos de Neto.

Marcos apareceu pela primeira vez na partida aos 10 minutos, fazendo ótima defesa e mandando para escanteio a boa cobrança de falta de Netinho, o substituto de Paulo Baier. No escanteio logo a seguir, Alan Baia quase faz, cabeceando para fora.

Aos 15 minutos, o lance que poderia ter definido logo a partida. Lincoln (que pouco antes havia tomado um amarelo injusto) faz boa jogada na área adversária e é derrubado por Bruno Costa, que tomou o segundo amarelo e foi expulso.

Robert cobrou aos 16 minutos e após uma paradinha ridícula, literalmente recuou a bola para as mãos do goleiro do Atlético (PR). Aos 19 minutos, Javier Toledo entra livre na área alviverde e chuta para fora.

A partir dos 23 minutos, o ritmo das equipes caiu bastante, com muitos passes errados e nenhuma chance de gol digna de nota, com o Palmeiras sem saber aproveitar a vantagem numérica em campo.

Para a etapa final, Antonio Carlos Zago ousou, tirando Pierre (que tomou amarelo e está fora da próxima partida na Copa do Brasil) e colocando Ewerthon em seu lugar.

Sem saber aproveitar a vantagem numérica, o time alviverde teve de encarar o entusiasmo da equipe paranaense. Marcos fez grande defesa aos 4 minutos em cobrança de falta de Netinho.

Mesmo dominando a partida, o Palmeiras mostrou extrema incompetência nas finalizações e erros gritantes de passes, especialmente quando a bola caia nos pés dos zagueiros Leo e Edinho. O jogo estava em nossas mãos, mas demos muita sopa pro azar.

Aos 34 minutos, o castigo veio na marcação de um pênalti inexistente. Alan Bahia cobrou com categoria, e naquele momento levava sua equipe para a decisão nas penalidades máximas.

Aos 37 minutos, Figueroa deu lugar a Marquinhos, e o time passou a criar algumas boas chances, especialmente pelo lado direito, com Márcio Araújo.

E foi dele a ótima jogada e cruzamento pela direita do ataque alviverde que deixou Lincoln livre, aos 43 minutos, com o meia tendo apenas o trabalho de tocar a bola para o fundo do gol de Netinho. Ufa!

O que de fato importa: estamos nas quartas de final da Copa do Brasil. O semestre ainda não está perdido!

*******

Clique abaixo e ouça o Torpedo Verde, o boletim diário de Mondo Palmeiras.