Verdão empata com um a menos em Curitiba

Por Fabian Chacur

Noite fria, muitos erros de passe, número limitado de chances reais de gol, um tento para cada lado e um típico juiz caseiro. Foram esses os destaques da partida entre Coritiba e Palmeiras, realizada na noite desta quarta-feira (3) no estádio Couto Pereira. O placar de 1 a 1 refletiu o que foi o embate entre as duas equipes.

Logo aos 8 minutos de partida, o Coritiba abriu o marcador. Em cobrança de escanteio, Emerson cabeceou livre, Marcos defendeu e o rebote foi aproveitado por Jeci.

O equilíbrio inicial logo se seguiu a um momentâneo predomínio da equipe paranaense, que aos 14 minutos teve outra grande chance nos pés de Bill, salva por uma saída perfeita de Marcos.

Entre os 16 e 17 minutos, o glorioso árbitro Célio Amorim (o novo Mussolini do apito) conseguiu dar cartões para Valdívia, Kleber e Luan quase que na sequência, enquanto Jeci, que fez pelo menos quatro faltas feias e umas 10 “bonitas”, acabou a partida sem sequer levar um amarelinho.

Sorte que aos 19 minutos Marcos Assunção (sempre ele!) bateu falta pela esquerda do ataque alviverde, e Leo Gago desviou de cabeça contra a própria meta. Tudo empatado.

Até o final dessa etapa, tivemos um amarelo para Leonardo, do Coritiba, um possível pênalti em Luan não marcado e um impedimento inexistente marcado quando Valdívia estava cara a cara com Edson Bastos.

O Palmeiras voltou melhor para a etapa final, e dominou boa parte do tempo, com Valdívia perdendo boa chance logo aos 7 minutos, em passe de Kleber.

O time do Paraná chegou com perigo ao gol do Verdão apenas aos 21 minutos, sendo que aos 27 mais um bom chute de Valdívia quase nos rendeu o segundo gol.

Após um passe errado, o atacante Bill recebeu a bola livre, e Thiago Heleno não teve opção, fazendo falta por trás e levando o vermelho aos 31 minutos. Sorte que o Coritiba não soube aproveitar a vantagem numérica, e só preocupou aos 40 minutos, com grande defesa de Marcos em chute de Rafinha.

Aos 33 minutos, uma efeméride: Henrique entrou no lugar de Patrik para recompor a zaga e reestreou no Alviverde Imponente.