Verdão é centenário no Paulistão

periquito

Neste ano de 2016 o Palmeiras completa cem anos de disputas no campeonato paulista.

O título paulista já foi a maior conquista que um clube podia alcançar, porém, hoje enfrenta a concorrência da Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Copa Libertadores da América, mas, mesmo assim, a disputa na terra bandeirante ainda possui o seu charme e mantém a importância no coração dos torcedores.

Fundado por imigrantes italianos em agosto de 1914, o Palestra conseguiu sua filiação na Associação Paulista de Esportes Atléticos (APEA) já em 1915, porém, esta filiação aconteceu no final do ano, o que não permitiu ao Palestra disputar o campeonato de 1915.

No ano seguinte, 1916, era vontade total da diretoria que o clube disputasse o certame paulista, porém, a quantidade de vagas para jogar o campeonato estava completa e não havia como o Palestra jogar a competição.

Porém, um dos clubes que participava do campeonato paulista, o Scotch Wanderes, estava utilizando o dinheiro da renda dos jogos para distribuir aos jogadores, e, como o futebol era amador naquela época, tal atitude foi punida pela diretoria da APEA com a exclusão do Scotch Wanderes da APEA.

Com uma vaga em aberto, o Palestra de cara foi o principal candidato a ocupar o espaço. Neste mesmo momento, a prefeitura de São Paulo estava reorganizando o centro da cidade, e, com isso, o antigo estádio do Velódromo – campo oficial da APEA – foi demolido. O novo estádio seria na Chácara da Floresta, uma antiga chácara que ficava às margens do rio Tiete, próximo de onde hoje está a Ponte das Bandeiras.

As arquibancadas de madeira precisavam ser levadas para o novo local, e Luigi Cervo, fundador do Palestra Italia e funcionário das Indústrias Matarazzo, conseguiu que os caminhões das Indústrias Matarazzo fizessem a mudança.

A condição para essa excepcional ajuda era a permissão para o Palestra Italia disputar o campeonato paulista.

Após uma reunião na sede da APEA, que em 1916 ficava próxima à Praça da Sé, o Palestra foi finalmente aprovado no campeonato da entidade e começava a escrever sua centenária história no mais importante campeonato estadual do país.

Confira a ficha técnica da estreia do Palestra Italia no campeonato paulista:

13/05/1916 – Palestra Italia 1 X 1 Mackenzie

Palestra: Fabbrini; Grimaldi e Ricco; Bianco, Fabbi I e De Biasi; Gobbato, Valle II, Dante Vescovini, Bernardini e Cestari

Mackenzie: Arnaldo; Plínio e Claudino; Campos, Pestana e Shelders; Jarbas, Oscar, Maciel, Zecchi e Cassiano

Local: estádio da Floresta

Gols: Vescovini (Palestra) e Zecchi (Mackenzie)

Árbitro: Irineu Malta

A campanha do Palestra no campeonato paulista de 1916 foi modesta; em doze jogos disputados vencemos quatro, perdemos sete e empatamos um. Dos sete participantes ficamos em sexto lugar com oito pontos ganhos (lembrando que na época a vitória valia dois pontos).

Agora com cem anos de história no campeonato paulista, o Palmeiras é o segundo que mais venceu títulos no geral.

Confira os maiores campeões:

Corinthians – 27 títulos

Palmeiras – 22 títulos / *2 títulos extras

Santos – 21 títulos

São Paulo – 20 títulos

Paulistano – 11 títulos

São Paulo Atlhetic (SPAC) – 4 títulos

Portuguesa – 3 títulos

A.A Palmeiras – 3 títulos

Germânia (atual Pinheiros) – 2 títulos

S.C Americano – 2 títulos

Internacional da capital – 2 títulos

São Bento da capital – 2 títulos

Ituano – 2 títulos

São Caetano – 1 título

Bragantino – 1 título

Internacional de Limeira – 1 título

Geralmente os anos terminados em “6” são bons para o Palmeiras. A maioria dos anos nós tivemos boas campanhas e geralmente vencemos o título.

Isso aconteceu em 1926, 1936, 1966, 1976 e 1996.

Em 1986 nós não vencemos o campeonato, mas chegamos ao vice naquela trágica derrota para a Inter de Limeira.

*Além dos 22 títulos, o Palestra Itália conquistou dois títulos extras do campeonato paulista. O primeiro foi em 1926, quando, após o término do campeonato regular, a APEA resolveu realizar um segundo torneio para evitar que seus clubes fossem assediados pela LAF (Liga dos Amadores de Futebol), entidade fundada pelo Clube Atlético Paulistano.

O segundo título extra aconteceu em 1938, quando a Liga de Futebol Profissional do Estado de São Paulo realizou um segundo campeonato no ano para que os clubes não ficassem muito tempo parado devido à disputa da Copa do Mundo na França.