Verdão atropela Vasco na estreia do Brasileirão

Confiança. Eis a palavra que de repente pode explicar a bela goleada que o Palmeiras empurrou goela abaixo do Vasco nesta tarde de domingo (14) na Allianz Parque, em sua estreia no Brasileirão 2017. Sem tomar conhecimento do adversário, o time novamente comandado por Cuca fez 4 a 0 e poderia ter feito mais gols no time carioca, que lutou muito, mas não aguentou o tranco.

Com apenas 5 minutos de bola rolando, o Verdão já vencia por 1 a 0, em pênalti bobo cometido por Jomar em Dudu e cobrado com maestria por Jean. O Vasco até que mostrou poder de reação, e teve pelo menos três boas oportunidades para empatar a partida, mas tropeçou em sua incompetência.

Enquanto isso, a equipe alviverde mostrava que poderia marcar um novo gol a qualquer momento, tocando bola e tentando criar novas oportunidades, sem se afobar. E deu certo. Aos 40 minutos, Guerra aproveitou o rebote do goleiro Martin Silva após chute forte de Jean, e fez o 2 a 0 esperado. O Vasco ainda pressionou, mas não conseguiu superar Fernando Prass.

Se o time carioca voltou com uma missão difícil para a segunda etapa, imaginem como ficou a coisa quando tomou o terceiro gol, logo aos 47 segundos. O lance impressionou pela plasticidade, começando com belo lançamento de Mina para Tchê Tchê, que fingiu estar em 2016 e cruzou com precisão para Borja cabecear sem dó do goleiro adversário. Aí, o jogo acabou.

Isso não significa que o Palmeiras tenha puxado o freio de mão. Pelo contrário. O time criou diversas boas oportunidades, mas Dudu não estava inspirado nas finalizações, embora tenha atuado muito bem. Mas o quarto gol veio aos 34 minutos, com Borja cobrando pênalti sofrido exatamente pelo Pequeno Gigante. E a goleada se consolidou, igualando a estreia de 2016.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass-7,5– Apareceu na partida nos poucos momentos em que o adversário ameaçou, não deixando a partida se complicar.

Jean- 7,5– Ótima partida, com direito a ter feito o primeiro gol do Verdão e a participação no segundo. Só uma falha feia, com uma recuada na fogueira para Prass, mas felizmente não deu em nada para ao adversário.

Yerry Mina- 8,0– A nota alta vai muito mais por sua atuação do meio para a frente do que por seu desempenho na defesa, pois ele atacou muito, e bem.

Edu Dracena-8,0– Ótima exibição do nosso zagueiro, seguro e sem dar chances aos adversários.

Zé Roberto- 6,5– Se não brilhou, ao menos esbanjou raça e vitalidade durante toda a partia.

Felipe Melo-7,5– Bom na marcação e ainda com tempo para um chapéu em Nenê.

Tchê Tchê- 8,0– Lembrou e muito o jogador que foi em 2016, com direito a bela assistência em um dos gols.

Guerra- 8,0– Ótimo na armação e nas finalizações, com direito a um gol. Vai crescendo novamente em termos de desempenho. Saiu aos 36 minutos do segundo tempo substituído por Róger Guedes-sem nota, que entrou com a partida já decidida.

Dudu- 8,0– Incisivo e liso, foi pra cima dos adversários e fez estragos na defesa do Vasco. Só faltou o gol para levar um dez. Saiu aos 36 minutos do segundo tempo substituído por Keno-sem nota, que não teve tempo para nada, pois o jogo já havia sido encerrado, a rigor.

Willian- 7,0– Esbanjou comprometimento com a equipe e garra. Saiu aos 19 minutos do segundo tempo substituído por Fabiano-7,0, que entrou muito bem na partida, especialmente na parte ofensiva.

Borja- 8,0– Com a força recebida do treinador, mostrou-se mais confiante e isso se refletiu em dois gols, além de boas jogadas, apesar de alguns momentos estabanados, o que parece ser a sua marca. Mas artilheiro tem de marcar gols, e isso, ele fez com louvor.