Verdão arranca empate em pleno Beira-Rio

Em partida que se caracterizou por marcação cerrada, grande número de faltas e um recorde de passes errados, o Palmeiras conseguiu um bom empate contra o Internacional, em pleno Beira-Rio, na noite deste domingo. O resultado de um a um só não pode ser considerado melhor pelo fato de o Verdão ter jogado durante todo o segundo tempo com um jogador a mais, devido ao volante Perdigão ter sido expulso no último minuto da primeira etapa. O frio excessivo também prejudicou a partida.A primeira etapa teve poucos lances de gol, com muita determinação e empenho por parte dos jogadores. Edmundo foi o jogador mais lúcido do Palmeiras, e colocou Marcinho na cara do gol aos nove minutos. Em um chute de longe, Michael levou perigo ao gol de Clemer, enquanto Diego mais uma vez fez boas defesas. Aos 41 minutos, Perdigão fez ótimo lançamento e Rafael Sóbis não perdoou, em contra-ataque rápido. Pouco depois, o jogador do Inter fez falta, levou justo amarelo e continuou reclamando de forma besta, merecendo o vermelho.

Até os 20 minutos do segundo tempo, o time do técnico Tite sufocou o atual Campeão da América, e o gol de empate saiu logo aos quatro minutos, em jogada que começou com Michael, passou por Marcinho e foi bem concluída por Paulo Baier, após bela assistência de Enilton. O time perdeu mais algumas boas chances, incluindo uma bola na trave em chute desferido por Marcinho. Com forte apoio da torcida, o Colorado foi pra cima, e criou várias chances de gol, incluindo um gol aos 27 minutos, anulado devido a impedimento de Fabiano Eller. Diego, o Jack Johnson do Parque Antarctica, segurou nossa onda, fazendo grandes defesas e garantindo o empate. O Inter foi muito mais faltoso do que o Verdão, e o número de passes errados, mais de cem, foi recorde negativo do campeonato. Nossa próxima partida é contra o Fluminense, no Parque Antarctica, última do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. A nota pitoresca fica por conta do bandeirinha Roberto Braatz, que tomou um belo escorregão e parou no chão, para delírio da torcida e risos até dele próprio.