Vantagens são revertidas, mas tudo está em aberto

Encerrada a rodada de ida das semifinais do Paulistão 2009, encontramos uma situação semelhante em ambos os duelos. As duas equipes que iniciaram a disputa em desvantagem, no caso Corinthians e Santos, conseguiram revertê-la na partida em que tinham o mando de campo, o que lhes permitirá chegar à final com um empate na casa dos rivais. Por sua vez, pelo fato de terem perdido por uma diferença de apenas um gol (2 a 1 nos dois casos), o Palmeiras e o São Paulo dependem apenas de um triunfo simples para liquidarem com seus adversários e se qualificarem para disputar o título.

As duas partidas tiveram características distintas. Enquanto Palmeiras, Santos e Corinthians procuraram a vitória o tempo todo, a equipe treinada por Muricy Sem Dentes se caracterizou como totalmente defensiva e concentrando nos contra-ataques suas tentativas de marcar gols. Seja como for, vamos focar no que de fato nos interessa ao nosso Alviverde Imponente.

Uma vitória simples não só nos permitirá continuar nossa luta rumo ao bicampeonato que não conquistamos desde o biênio 1993-94, como também nos manterá dependendo de dois empates, ou uma vitória e uma derrota pela mesma diferença de gols, para atingir tal façanha.

Ganhe São Paulo ou Corinthians a partida do próximo domingo no estádio Cícero Panetone de Toledo, nenhum dos dois conseguirá nos superar, levando-se em conta que só chegaremos lá com mais um resultado positivo, que nos manterá como a equipe com o maior número de pontos na competição.

Ou seja, disputar a final do Paulistão para nós significará jogar a primeira na casa do adversário e a segunda em nossa casa. Ou melhor, teremos o direito de mando para a partida decisiva. Vai saber o que a gloriosa Federação Paulista de Futebol irá decidir, neste quesito….. E viva Presidente Prudente!