Troféu “A Vida dos Outros” – Edição 2011

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

*****

Troféu A Vida dos Outros para os mais patéticos de 2011-1
Após mais um ano acompanhando a patética vida dos outros clubes brasileiros, esta coluna não poderia deixar de premiar quem conseguiu nos divertir mais durante esses dolorosos e doloridos meses.

Nesta edição, iremos nos concentrar nos clubes, e posso garantir que foi duro selecionar apenas cinco para serem premiados. Mas, no fim das contas, conseguimos concretizar essa façanha.

Sem ordem de preferência, pois os cinco foram realmente lamentáveis, começaremos pelo Atlético Mineiro. No “competitivo” campeonato mineiro, ficou mais uma vez como vice, sendo batido pelo Cruzeiro.

No Brasileirão, manteve-se no célebre Z Menos Quatro durante boa parte da competição. No segundo turno, conseguiu uma reação brilhante e carimbou sua permanência na Primeira Divisão antes do fim do torneio.

Aí, na última rodada, quando poderia ter enterrado a estaca no peito do seu maior rival e o deixado à beira do rebaixamento, o que aconteceu? Tomou uma goleada de 6 a 1. Isso é que é terminar o ano deixando sua torcida “feliz”, heim? Troféu merecido para eles!

*****

Troféu A Vida dos Outros para os mais patéticos de 2011-2
Há quem comemore vaga na Taça Libertadores da América como se fosse um título. Depende. No caso específico do Clube de Regatas Flamengo, isso é no máximo um consolo baratinho, baratinho.

Afinal de contas, o clube dirigido por Wanderlei (ou Vanderlei, ou Van Der Ley, Ou Vão Sem Lei, ou sei lá!) Luxemburgo botou banca antes do início do Brasileirão. Luxa, Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves, eram dois craques por posição. Uma verdadeira seleção, na opinião deles.

No entanto, durante a competição, o clube fez a festa em termos de altos e baixos, com direito a dez jogos sem vitórias e a 16 empates, número grotesco para um time tão cheio de marra.

No fim das contas, acabou ficando em um mediano quarto lugar, só com a vaga na liberta a ser comemorada. De quebra, salários voltando a atrasar, atritos com a “parfeira” Traffic, Dentução Gaúcho querendo pular fora… Muita arrogância para pouco retorno, né não?

*****

Troféu A Vida dos Outros para os mais patéticos de 2011-3
Lógico que as meninas de J.J. Whisky não poderiam ficar de fora. Aliás, acho que o primeiro posto é delas e de ninguém mais. Foram vários vexames durante o ano todo.

No Paulistão, chegaram às semifinais e olhe lá. Na Copa do Brasil, realizaram a fantástica façanha de serem eliminados pelo Avaí, clube que poucos meses depois seria o lanterna do Brasileirão.

Na Sulamericana, foram eliminados por um time paraguaio chamado Libertad, que de tão ruim nem conseguiu seguir adiante na competição após detonar o Tricolixo.

E no Brasileirão, teve a pachorra de achar que Leão Tarja Preta poderia colocá-los na Libertadores assumindo o cargo de treinador nas últimas rodadas. Acabou em sexto lugar, e mais um ano sem disputar a mais cobiçada competição da América.

De “exemplo a ser seguido”, como a imprensa adorava citar toda hora, o SPFC (saco de pancada futebol clube) virou uma piada pronta ambulante. E já completa três anos sem ganhar nada. Ô, dó!

*****

Troféu A Vida dos Outros para os mais patéticos de 2011-4
Ao ganhar 24 partidas consecutivas, um recorde mundial, o Coritiba virou a sensação do primeiro semestre de 2011 para a imprensa, com direito à conquista do “disputado” campeonato paranaense. Para alguns apressadinhos, era um novo supertime.

O tempo colocou o tal de Coxa em seu devido lugar. Perdeu a Copa do Brasil para o Refugão da Gama, para início de conversa. Depois, veio realizando uma campanha mediana no máximo, no Brasileirão.

Graças ao péssimo nível da competição, conseguiu chegar na última rodada dependendo apenas de si para conquistar uma vaga na Libertadores, o que ajudaria a salvar seu ano.

Aí, o que aconteceu? O clube conseguiu a façanha de apanhar do rival, o rebaixado Atlético Paranaense, e acabou em um ridículo oitavo lugar, muito pouco para quem foi tão incensado pela “imprensinha”. E só para constar: quem quebrou a invencibilidade deles foi o Verdão, apesar dos pesares.

*****

Troféu A Vida dos Outros para os mais patéticos de 2011-5
Lógico que o glorioso Botafogo não poderia ficar de fora dessa lista de premiados. Afinal de contas, como os próprios torcedores do clube sempre repetem, “há coisas que só acontecem com o Botafogo”.

Depois de demitir Joel Prancheta, que ao menos deu a eles um campeonato carioca em 2010, o clube continuou sua sina de ficar perto e até animar seus seguidores, mas sempre vacilar na hora agá.

A performance do Foguinho neste Brasileirão foi exemplar. Em determinado momento da competição, ficou na beira de assumir a liderança. “Agora, vai!”, pensarem seus torcedores. Qual o que!

Uma série interminável de derrotas levou os dirigentes alvinegros a mandarem o treinador Caio Bianchi Júnior embora no finalzinho da competição, achando que ainda conseguiriam uma vaga na Liberta como consolação. Conseguiram, isso sim, mais derrotas e empates. Nem Loco Abreu deu jeito…

*****

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos freqüentadores de Mondo Palmeiras! E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio, etc…