Teremos um novo time no segundo semestre?

Por Flavio Canuto

No futebol moderno, são raros os jogadores que passam muito tempo vestindo a camisa de uma equipe. A alta rotatividade de atletas tem sido comum, principalmente quando as coisas não vão bem.

Tente lembrar quantos jogadores passaram pelo Palmeiras nos últimos 5 anos. Duvido que você consiga se lembrar de cada um deles.

Até agora, nesta temporada, não vejo esta rotatividade. Só ouvimos notícias sobre o êxodo de jogadores do Verdão.

Primeiro foi o goleiro Bruno,  emprestado para a Lusa até o final do ano. Depois, o zagueiro Danilo, que já havia sido vendido para a Udinese. O atacante Luan, cujo empréstimo termina no final do mês, também deve sair.

Além destes, o volante Tinga também está de malas prontas por conta daquele imbróglio com a DIS. O atacante Wellington Paulista, que mal chegou, está insatisfeito com a reserva, e deve ir embora.

Alguns atletas da base, igualmente insatisfeitos com a falta de oportunidades por aqui, também demonstram vontade de sair.

Até mesmo o volante Pierre, um dos jogadores mais queridos da torcida, pode ser negociado com o Botafogo.

Não estamos na Coreia do Norte ou Cuba, vivemos num país livre, e cada um pode trabalhar onde quiser. É normal que os atletas saiam, mas precisamos de reforços para o resto da temporada, e até agora só sabemos que Maikon Leite virá.

Só teremos um time competitivo se as peças que saírem forem repostas a tempo, mas parece que o relógio dos dirigentes palmeirenses está sempre atrasado.

Há pelo menos 12 anos.

Abraço a todos!