Sinal amarelo ligado na Academia de Futebol? Espero que sim.

Não foi apenas o Prass que falhou na derrota de sábado no Morumbi. Todos foram muito mal e, mesmo quando o time vence bem, ainda falta algo. Não é essa a postura que o palmeirense espera de uma equipe montada para disputar em alto nível todas as competições que disputa.

O “mordomo” Eduardo Baptista se foi e não dá mais pra botar a culpa em uma só pessoa. Nem mesmo no Miguel Borja, em fase de adaptação, que foi pro banco de reservas por deficiência técnica. Todo mundo está achando que o Palmeiras pode vencer todos os adversários apenas porque é Palmeiras. Porque é campeão, líder em arrecadação e tudo mais…

Do lado de lá, os adversários vêm pra atuar com o Palmeiras como quem precisa derrubar um gigante e se entregam de corpo e alma dentro de campo. Desse jeito, nunca vai ser fácil. Grana é importante, mas futebol é muito mais do que isso, é também vibração e emoção.

Jogando de forma burocrática, o Palmeiras não vai a lugar nenhum nessa temporada. Embora digam o contrário, antes de irmos, é preciso saber para onde vamos. Essa coisa de estabelecer prioridades pode ser simples para uma empresa, mas num clube de futebol é algo complicado demais.

Perder um clássico quase sempre tem algo de traumático. Ninguém fica indiferente após uma derrota, especialmente quando o time joga muito mal (foi o caso deste sábado) e isso traz consequências para as rodadas seguintes.

Será que a Copa do Brasil é prioridade? Não sei, mas se os atletas forem ao Beira Rio achando que o jogo será uma moleza só porque o Inter está na Série B, teremos mais uma desclassificação pela frente e crise no Palmeiras. A partida de ida, no Allianz Parque, já foi uma pedreira!

Confio no Cuca. Sei que ele vai dar um jeito no time dentro das quatro linhas, vai buscar mais reforços se necessário, mas precisamos mais do que isso. É preciso também de ter atitude de campeão, e isso não se compra.

Abraço a todos!