Santos garante vitória no início e Palmeiras cai para 3º no Brasileirão

Com apenas 16 minutos de bola rolando, o Santos conseguiu marcar dois gols contra o Palmeiras na chuvosa noite desta quarta (9) na Vila Belmiro. Foi o bastante para garantir a vitória contra o tradicional adversário, e de quebra para assumir a vice-liderança do Brasileirão 2019. Jogando de forma amorfa, o time hoje treinado por Mano Menezes parecia aquele time dos últimos dias de Felipão. Será apenas coincidência?

Logo aos 36 minutos, Dudu fez uma boa jogada e chutou, para defesa tranquila do goleiro santista. Pode parecer piada, mas TODA a energia alviverde parece ter se encerrado aí. Tanto que, logo aos 13 minutos, o time da casa abriu o marcador, com Carlos Sanches cobrando falta e Gustavo Henrique, absolutamente livre, cabeceando. Logo a seguir, aos 16 minutos, Jailson bateu roupa e Marinho marca, lance validado pelo uso do VAR.

Se a coisa já estava ruim, ficou ainda pior com a saída aos 24 minutos de Luiz Adriano, contundido, para a entrada de, acredite se quiser, Carlos Eduardo. A expectativa era de uma goleada histórica se configurar logo na etapa inicial, mas a sorte é que o time praiano, com alguns desfalques, não mostrou capacidade técnica suficiente para concretizar essa ampliação de marcador que se imaginava.

 

Na etapa final, o que vimos foi o time da casa administrando o resultado de forma tranquila e o time alviverde esbanjar incompetência, falta de criatividade e qualquer mostra de capacidade de reação. De quebra, ainda ficou sem William, expulso aos 28 minutos por sugestão do VAR (sempre ele). Aí, foram 17 minutos de tempo jogado fora, tanto que o árbitro nem deu acréscimos, encerrando a tortura aos 45 minutos.

Mano Menezes vai ter muito, mas muito trabalho mesmo para não deixar a maionese azedar de vez. Vale lembrar que o Flamengo, se conseguir a vitória que parece garantida na partida desta quinta (10) contra o Atlético-MG em casa, abre oito pontos sobre nós e o Santos. Pior: ainda faltam 14 partidas, e nem a tal de vaga direta na fase de grupos da Libertadores está garantida. Fica a torcida por dias melhores até o fim de 2019, mesmo sem título.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson- 4,0- Muito fora de jogo, falhou no segundo gol e rebateu bolas de bobeira.

Marcos Rocha- 3,0- Fraquíssimo em todos os quesitos, especialmente o passe, um de seus pontos fortes.

Luan- 4,0- Esforçado, mas também muito mal, com direito a uma falha constrangedora na segunda etapa.

Vitor Hugo- 4,0- Bastante abaixo daquele zagueiro que nos acostumamos a admirar.

Diogo Barbosa- 2,0- Nada, nada, nada. Jogou nada!

Felipe Melo- 3,5- Sem inspiração e ainda tomou o terceiro amarelo, ficando fora do jogo contra o Botafogo.

Bruno Henrique- 3,0- Só foi visto reclamando da arbitragem, e olhe lá.

Gustavo Scarpa- 3,0- Entrou e saiu de cabeça baixa. Aí, fica difícil. Saiu aos 15 minutos do segundo tempo para a entrada de Zé Rafael- 3,0, que não jogou nada, mas entrou com a partida já perdida.

Dudu- 4,5- Nem mesmo ele mostrou alguma coisa na partida de hoje, algo raro.

Willian- 2,0- Além de ir mal, ainda foi expulso de bobeira, se bem que em lance que o tal de VAR deixou passar em partidas de outras equipes.

Luiz Adriano- sem nota- Entrou claramente sem condições de jogo e saiu logo aos 24 minutos, substituído pelo inacreditável Carlos Eduardo-1,0, que correu muito, mas provou que só correr não resolve se o jogador em questão não tem a menor condição técnica.