Relato sobre a Visita Nova Arena

Por Luciano Albano

Setembro de 2009.

Palmeiras x Atlético-PR. Campeonato brasileiro. O jogo valia muito e o Verdão disputava a ponta da tabela. Palestra lindo, casa lotada.

Somos em 3 irmãos. Dois deles (eu incluso) vivem na Baixada Santista. O outro, no interior paulista. Lá um amigo ganhou 4 ingressos da promoção da Nestlé e fomos os convidados para acompanhar o jogo nas numeradas cobertas. Sim, ali mesmo, na turma dos “amendoins” estávamos nós.

Nosso amigo do interior registrou o momento, tirou uma foto e vibramos com a vitória do Verdão. Alegria total.

Passados pouco mais de 2 anos, eis que o Palestra está em obras se modernizando e a construtora parceira do Palmeiras veio conclamar seus torcedores para um Concurso Cultural.

A idéia era a postagem no site de uma foto onde o protagonista (maior de 18 anos) deveria estar no Palestra Itália. Seriam selecionadas 20 fotos e as 10 mais curtidas no facebook seriam as vencedoras. O prêmio: acompanhar as obras da Nova Arena na presença de São Marcos e o Divino Ademir da Guia.

A poucas horas do encerramento da promoção, envei essa foto. Com fé.

-Vai que dá, né? E deu. Das quase 1.500, a minha estava entre as 20.

Aí começou a luta incessante de caça aos “votos”. A família foi convocada, amigos, sites de palmeirenses, mídia palestrina. O chamado foi aceito e todos abraçaram a idéia.

Estávamos em décimo segundo e no final acabamos em nono com incríveis 288 votos!

A todos que votaram, nossa eterna gratidão. Iríamos realizar um sonho de infância. Sim, porque somos quarentões, meus caros. Deixamos férias, família, trabalho de lado para curtir essa quarta-feira especial. Voltamos a ser crianças.

Dormimos mal. Quase nada. Ansiedade total. Às 7h subimos a serra e estacionamos no shopping Bourbon. Ali já encontramos alguns visitantes.

Chegou a hora e seguimos até o vestiário do velho Palestra. Nem mesmo o excesso de jornalistas e de funcionários da construtora ameaçou tirar o brilho do que estava por vir.

Recebemos os belíssimos kits e eis que surgiu São Marcos. Simpático, sorridente, brincalhão, uma figuraça. Vendo a multidão disparou: “- Me falaram que era só 20 nêgo. Tá louco..”

Marcos cumprimentou a todos e foi sentar-se ao lado do Divino.

Bem diante de nossos olhos houve o abraço dos ídolos. Pensei: será que eles têm a dimensão do que representam? Provavelmente não.

Depois o que se seguiu foi uma profusão de sentimentos e emoções impossíveis de se descrever.

Ver Marcos com Ademir da Guia juntos é privilégio para poucos. Simplesmente pára-se no tempo e no espaço. Vive-se uma celebração única, marcante, inesquecível, quase que religiosa.

Seguiu-se a apresentação de um belo vídeo, a visita às obras e depois, o encontro com os ídolos para autógrafos e fotos.

De quebra tive a honra de rever e conhecer pessoas muito legais como Pepe Reale, Tania Clorofila e vários visitantes.

Observei Ademir da Guia. É uma figura fantástica, amável, humilde, encantadora. Quando estive ao seu lado pedi um abraço e o fizemos fortemente. Emocionado disse a ele que aquele era o abraço que meu falecido pai sempre desejou. Fui às lágrimas.

Marcão era só alegria. Chamou a atenção pela simplicidade, pelo jeitão caipira e descolado. Pacientemente atendia a todos tranquilamente. Em determinado momento ele perguntou sobre os garotos da Copinha.

“- Ganharam ontem, né? Pegam quem agora?” Respondi a ele que era o Atlético-Pr. “- Molecadinha boa, vai dar trabalho”, disse-me franzindo a testa assinando uma camisa, na porta dos elevadores do prédio multiuso.

Numa outra, zoou com o cinegrafista Mosca ao ostentar um gesto impublicável atrapalhando a filmagem de uma matéria do pessoal do Sportv.

A maratona estava para acabar e Marcão ficaria até o último torcedor com camisa para autografar, se assim fosse necessário.

Pra finalizar queria dizer que os vinte e poucos contemplados que estiveram ali representaram os 17 milhões de torcedores a altura.

Na lágrima da torcedora apaixonada, no canto do hino do clube em cima do distintivo, no aplauso ao que será a Nova Arena no futuro bem próximo, na alegria de fotos e autógrafos adquiridos e exibidos como troféu.

Voltamos para casa com a sensação de termos sido muito mais que campeões.

Só quem sabe o que é ser palmeirense tem idéia do que vivenciamos no dia de hoje, 18/01/2012, na Nova Arena Palestra Itália.

Obrigado, Marcos.

Obrigado, Ademir da Guia.


[nggallery id=32]