Quando é que esse time vai jogar bem?

Demorou, mas aconteceu. O Palmeiras perdeu a sua primeira partida na Copa Libertadores 2017. Não que isso já não pudesse ter aconteccido antes, mas a capacidade de reação do elenco e a força da torcida fizeram com que o time conseguisse se safar em outras ocasiões.

Desta vez, não deu. O Palmeiras entrou em campo com alguns desfalques, mas com a escalação correta. Michel Bastos merecia ser titular na lateral-esquerda, o Thiago Santos era o substituto natural do Felipe Melo e o ótimo Miguel Borja merecia mesmo ir pro banco de reservas.

Mais uma vez, o grande entrave foi o sistema tático utilizado: o tal 4-1-4-1 só presta para dividir a equipe em blocos, deixando os atacantes distantes do meio-campo e a defesa próxima do goleiro e longe dos volantes.

E foi justamente o sistema defensivo que ajudou o limitado time boliviano marcar dois gols em cinco minutos e definir a partida. Vitor Hugo, gente finíssima, está numa fase terrível. Cometeu duas falhas incríveis e praticamente deu dois gols para o Jorge Wilstermann. Um deles, o segundo, parecia mais gol de vídeogame (modo iniciante). Foi algo surreal.

O Palmeiras ainda conseguiu achar um gol, com o Alejandro Guerra, um dos poucos que está jogando bem, apesar dos pesares. Nem isso foi o bastante para motivar o grupo para uma virada na segunda etapa.

Miguel Borja entrou no lugar de Willian Bigode e errou tudo o que tentou. Depois, o Eduardo Baptista arriscou ao colocar Keno na vaga de Thiago Santos. Perdido por um, perdido por dez.

O time boliviano havia se conformado com o resultado e ali recuado, no campo de defesa. Ainda assim, depois de uma falha incrível do Jean, que novamente fez uma péssima partida, eles conseguiram marcar o terceiro gol, de pênalti. Prass teve que cometer a penalidade e não conseguiu defender a cobrança. Com uma defesa dessas fica difícil ganhar até do Ibis!

Dudu estava apagado demais no jogo e Raphael Veiga entrou como uma esperança de gol. Mas a verdade é que até agora o treinador não conseguiu fazer o time jogar como um time.

Esse sistema não dá certo e o Eduardo Baptista insiste no erro. É tudo na base do improviso e do esforço individual, o Mina subindo para o ataque é um exemplo disso. Quando o acaso não entra em campo, o time fracassa.

Acredito que o Palmeiras vai se classificar para a próxima fase na Libertadores, mas não sei quando é que esse time vai jogar bem. Alguém sabe?