Prosa Verde: Democracia chegando, Alex podendo chegar e o PCO… já chegou!

Bom dia, boa tarde e boa noite, queridos palestrinos que, assim como eu, estão com a “naftalina” (adrenalina, segundo Jardel, atacante ex-Grêmio) nas alturas pelo belíssimo momento do time e a volta das vitórias, pelo clássico com os vizinhos rosa que se aproxima, e pelo início de uma nova era no Verdão, a era da democracia! Hoje tem assunto pra dar e vender!

Sul-Americana: quem sabe não dá?
Mais uma vitória do nosso Alviverde Imponente, dessa vez frente ao Millonarios, uma equipe absurdamente fraca, que contou com a sorte de não estarmos em condições de escalar o time principal, porque certamente seria uma goleada histórica no Pacaembu. Mas vencemos e isso é o que vale. Obina voltando a marcar, Tiago Real mostrando que sua contratação foi acertada e Luan provando que pode fazer algo diferente fora chutar de tudo quando é canto.

Alô democracia, olha a gente aí!
Agora, mudemos o foco para as Diretas Já! A sensação de que mudanças positivas estão por vir já contagia meu sentimento palmeirense. É o primeiro passo, tudo bem, mas até pouco tempo atrás esse passo não passava de um mero sonho distante, hoje é algo concreto. Chegou a hora de expurgarmos de uma vez por todas essa gente que há décadas faz do Palmeiras o quintal de casa. Ou o banheiro, dependendo da sua ótica.

Repito: as Diretas ainda estão engatinhando, mas agora já é algo absolutamente real, de verdade. Estamos, nobres esmeraldinos, rumando para um novo momento na história do clube, um novo ciclo, e é uma honra poder presenciar tudo isso. O Palmeiras está acordando, vem por aí a Nova Arena, outro marco em nossa história, o nosso verde voltará a ser muito mais verde, mais forte, mais Palmeiras. Atenção Mustafá, Piraci, Avallone, Tirone e toda a máfia: a brincadeira está acabando!

A contratação que nunca é contratada
Alexsandro de Souza, o popular Alex10, Cabeção ou Alexotan, volta a ser assunto no Palmeiras. Pela culionésima vez. Só que agora a história é diferente, o meia está livre e desimpedido para voltar ao Brasil, já que foi enxotado covardemente do Fenerbahçe, onde é ídolo e deixou seu nome cravado na história do clube e do futebol turco.

Alex pôs seus ex-clubes como prioridade em seu retorno, mas nada que deixe assegurado de que Santos, Grêmio, Internacional, Nome Feio e Atlético-MG não tenham grandes possibilidades de contar com o habilidoso atleta. Confesso que não crio expectativa alguma por duas razões: pela qualidade dos nossos dirigentes e pelos vários exemplos dados pelo jogador de que o Palmeiras não ocupa lá grande parte de seu coração.

Respeito? Gratidão? Se Alex tiver ele volta…
Seria espetacular tê-lo em nosso elenco, obviamente, formando uma hipotética dupla com Valdivia na armação das jogadas. Já pensaram? Servindo o Barcos? Entretanto, já vi e vivi muitas situações desse vem-não vem do camisa 10 que prefiro não me animar. Só digo mais uma coisa: já que o atleta não possui nenhum tipo de amor pelo Palmeiras, como já provado, que demonstre pelo menos respeito pela equipe que lhe deu uma Libertadores e que lhe lançou para o mundo. Sim, quando o mesmo chegou ao Cruzeiro já era conhecido, formado, lapidado, craque.

Escondam seus pertences, ele está armado… com um apito!
Para não perder o costume, a nossa querida CBF, em parceria com a gloriosa Comissão de Arbitragem, já garantiu as fortes emoções para o próximo Choque-Rei: Paulo César de Oliveira será o apitador. Digam-me se não é de cair o monossílabo da calça? Um juizinho que já nos ferrou um milhão de vezes não consegue ser vetado pela direção do clube? Que raios esses caras têm no meio das pernas que não honram? Pela madrugada…

PCO deve ter bonequinhos de vudu (é pra jacu!) do Palmeiras em casa, deve assistir todas as noites DVDs com nossas derrotas históricas para Inter de Limeira, Guarani, Ceará, Ipatinga, Manchester United, Goiás, Atlético-GO, entre outras, gargalhando e contando as horas para nos ferrar outra vez. Sujeitinho sem vergonha, que é amado pela imprensa, principalmente a ala fedorenta, que exalta esse arbitrozinho mequetrefe como se fosse o Pierluigi Collina de Itaquera. Mas nós sabemos muito bem o porquê dessa “idolatria”. Ah se sabemos…

A cereja do bolo
E tem mais: sabem quem será um dos assistentes nessa partida? O senhor Emerson de Carvalho. Vamos refrescar a memória: esse é aquele auxiliar que validou um gol do Santos contra o Nome Feio, ficou na geladeira por quase dois meses e, como prêmio por bom comportamento, ganhou o lugar no clássico. Não é genial? Será que ele voltará a atuar contra os Gambás algum dia?

Não importa, os três pontos serão nossos!
Goosfraba… Goosfraba… Pronto, fiquei mais tranquilo. Mas só um pouco. De qualquer forma, iremos vencer o clássico, com ou sem PCO, quebraremos esse incômodo tabu e colocaremos as meninas em seus devidos lugares. Gilson Kleina, que merece nossos parabéns até aqui, é inteligente e sabe como parar nossos rivais mais coloridos. A vitória contra eles(as) significa muito mais que vencer um clássico, é mais um degrau na fuga contra a degola. Ganharemos e não cairemos.

Energia Verde: nós temos de sobra!
Por hoje é só, pessoal, a Prosa ficou extensa como sempre, mas é que os assuntos pediam passagem e eles são quem se escalam aqui, comigo não tem apadrinhamento ou protecionismo não. Cabeça no lugar, vibrações positivas e vamos emanar a energia verde que contagia, que só a Torcida que canta e vibra é capaz de produzir. Vitória contra os Bambis: se prepare, que sábado vou lhe usar!

Abraço a todos!