Primeiro tempo péssimo e gol anulado derrubam o Verdão

A primeira rodada do Brasileirão foi pavorosa. Quase nada foi digno de nota além das vitórias do Santa Cruz e, principalmente, do Palmeiras contra o Atlético-PR.

Depois de fazer uma partida perfeita e golear o time paranaense, todo mundo começou a apontar o Palmeiras como o principal time do Campeonato Brasileiro. Como não tivemos jogos durante a semana, o “oba-oba” durou a semana inteira.

É muito cedo para apontar quem vai cair, quem vai arrbentar, etc…Enfim, foi nesse clima que o Palmeiras entrou em campo neste sábado para enfrentar a Ponte Preta. E logo nos primeiros minutos, duas ótimas chances de gol foram criadas.

Parecia que o gol palmeirense iria sair a qualquer momento, pelo menos era isso que o pessoal dentro de campo achava neste início de jogo. A dupla de volantes, formada por Matheus Sales e Jean, não tinha a mesma pegada do jogo de estreia e a defesa estava completamente exposta, além de mal posicionada.

Cleiton Xavier quase fez um ótimo gol de cabeça, mas foi a Ponte Preta que conseguiu abrir o placar logo em seguida. Jogada de bola parada e falha do sistema defensivo.

O Palmeiras insistia em jogar pelo lado esquerdo, com Egídio, mas o técnico da Ponte travou bem o setor. Faltou repertório para buscar uma nova alternativa, a criatividade do meio-campo era inexistente e, no ataque, faltava um homem de referência. Alecgol fez uma péssima partida e acabou sendo substituído na segunda etapa.

A Ponte Preta conseguiu fazer o segundo gol numa jogada de video-game. É até difícil apontar de quem foi a principal falha no lance que originou o gol: todos falharam.

Para a segunda etapa, Cuca resolveu mexer no time e sacou os inexistentes Alecgol e Matheus Sales. As presenças de Rafael Marques e Dudu em campo não mudaram muito o panorama da partida.

Dudu é fera, mas está sem ritmo de jogo. Rafael Marques é o mesmo Rafael Marques de sempre, que pode fazer uma partida sensacional ou ser um desastre completo em campo.

CAMPINAS, SP - 21.05.2016: PONTE PRETA X PALMEIRAS - O jogador Moisés, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do AA Ponte Preta, durante partida válida pela segunda rodada, do Campeonato Brasileiro, Série A, no Estádio Moisés Lucarelli. (Foto: Cesar Greco / Fotoarena)

Foto: Cesar Greco / Fotoarena

A Ponte continuou criando mais chances até que Cuca decidiu colocar o sumido Moisés no lugar do Roger Guedes. O cara mostrou mais uma vez que é um jogador dedicado e desde a sua entrada o Palmeiras conseguiu se impor mais na partida.

Foi aí que a arbitragem de Leandro Vuaden começou a aparecer mais. Cuca foi expulso por reclamar que um cartão amarelo injustamente aplicado ao Tche Tche e ainda anulou um gol legítimo de Gabriel Jesus.

Claro que não perdemos apenas por conta disso, mas é algo que não pode virar rotina no campeonato ou o sonho de levantar a taça não vai passar de um sonho. Time campeão geralmente é ajudado e não prejudicado durante a competição.

Espero que agora, sem oba-oba, o Palmeiras volte a jogar nesta quarta-feira, contra o Fluminense, com atenção e sem achar que vai ganhar fácil. Ah, e eu boto fé no Alecgol pra essa partida!

Abraço a todos!