Por que essa eliminação está sendo tão dolorosa para o palmeirense?

Depois de um primeiro semestre promissor, o Palmeiras desmoronou como um castelo de areia quando bate uma ondinha do mar. Duas, na verdade. 

Primeiro, na Copa do Brasil, o time conseguiu uma vantagem magra num jogo fácil em casa, contra o Internacional. A vitória por um gol de vantagem não foi suficiente para garantir a classificação e os gaúchos fizeram um jogo de superação em Porto Alegre.

Como o Palmeiras tem um retrospecto ruim com o Inter, o palmeirense não sentiu tanto aquela derrota, nos pênaltis. E ainda tinha a Libertadores. Ninguém morreu. 

Desta vez, contra o Grêmio, o Palmeiras fez um grande jogo de ida e conseguiu uma bela vitória na casa do adversário. Mas isso não bastava. O time precisava mostrar a mesma segurança no jogo de volta, mas não conseguiu. Fez um gol logo de cara, mas levou dois gols logo em seguida. 

Com o placar adverso, o time ainda encontrou chances para reagir. Criou algumas oportunidades, mas escolhas erradas e a falta de repertório do time acabaram prevalecendo, assim como o placar reverso. Um vexame.

Pior do que a derrota em si, foi a reação do treinador que segue incapaz de reconhecer os seus erros e se vê como intocável. Os atletas, como sempre, não deram nenhuma satisfação à torcida. Um dia como outro qualquer no Palmeiras. 

A verdade é uma só: o elenco é bom, mas não é tão superior aos demais quanto eles próprios imaginam. Só dinheiro não vai nos levar a lugar algum. Falta organização tática e muitas outras coisas, inclusive humildade.

Enfim, é hora de arrumar a casa ou vamos esperar o final do Campeonato Brasileiro? 

Abraço a todos!