Ponte bate muito, dá sorte e ganha

edicao15.gif

Em mais uma partida não muito inspirada, o Palmeiras perdeu da Ponte Preta, sua primeira derrota em 2007, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. O resultado, no entanto, não reflete o que foi a partida, pois o time de Nelsinho Batista apenas bateu, e muito, e soube aproveitar duas das raras chances de gol que teve. A primeira, após os trinta do primeiro tempo, quando haviam tomado um sufoco de nossa equipe, que, no entanto, só conseguiu enfiar uma bola na trave, em cobrança de Edmilson Seo Boneco.

Um chute de longe, que Marcos aceitou, e poucos minutos depois, uma bola cruzada da direita sem ninguém pressionar e o centroavante Finazzi dominando livre e mandando para o fundo das redes verdes.

Os jogadores do time de Campinas bateram tanto que conseguiram tirar Valdívia de campo, com suspeita de fratura no nariz. Caio Jr tentou corrigir as coisas colocando em campo Caio, Marcelo Costa e Edmundo (que começou no banco), e as alterações até que agitaram um pouco, mas o Verdão continuou pouco objetivo, e dando muitos espaços para raros contra-ataques da Ponte. Aos 31 do segundo tempo, Caio acerta belo chute e desconta. Durante alguns minutos, pressionamos de forma um pouco mais concatenada, mas faltou sorte para fazer mais gols.

E deu tempo de Marcos se redimir do primeiro gol, fazendo algumas defesas difíceis. Lance mais patético do jogo: após bater umas quatro faltas, sendo que uma quase para fora do estádio, Seo Boneco deixou Edmundo tentar. Resultado? O Animal jogou na barreira. Ficou claro que Michael deveria ser aproveitado como meia, pois tem habilidade e ousadia, e não na lateral, onde deixa uma avenida às suas costas.