Pierre!!! Pierre!!! Pierre!!! Pierre!!!

Por Flavio Canuto

É raro hoje em dia um jogador se identificar com alguma equipe do futebol brasileiro. Mais raro ainda é a torcida gostar desse jogador, e ele ainda jogar muito bem.

É comum esse tipo de jogador sair do clube bem rápido, e deixar a torcida saudosa (e furiosa) com a perda de um jogador querido.

O que estranha a todos é ver um atleta com essas características, como o volante Pierre, sendo  “encostado” no clube por conta de uma decisão técnica/tática do treinador.

Claro que a última palavra sempre será do Felipão, mas o assunto pode (e está) sendo discutido pelos palestrinos em todos os cantos.

Pierre veio de uma cirurgia delicada na planta do pé, mas mesmo depois de sua demorada recuperação teve poucas chances no time titular.

Claro que Márcio Araújo se firmou no meio-campo, mas Pierre não é sequer uma opção para o banco de reservas, sendo preterido pelo limitado Chico.

Por outro lado, outros jogadores, bem inferiores tecnicamente ao Pierre, tiveram muitas chances no time titular, nesse mesmo período.

Sinceramente não sei se o treinador, a quem admiro, realmente tem razão nesta escolha.

Mas tenho certeza que, se o Pierre for mesmo negociado com outro grande clube do País, ele será titular em pouco tempo e se tornará uma ameaça ao Palmeiras.

Porém, mesmo jogando contra nós, será ovacionado por alguns minutos, pela torcida palmeirense. Espero não testemunhar isso…

Abraço a todos!