Perder o Alan Kardec será uma demonstração de fraqueza

O que se comentava nos bastidores foi finalmente oficializado nas últimas horas.

Diante da lerdeza palmeirense, a nova diretoria são-paulina, para mostrar que não chegou para brincar, negociou diretamente com o agente e o pai do Kardec.

Depois de fazer uma ótima propo$ta aos dois, os rivais foram negociar em seguida com o pessoal do Benfica e tornaram oficial o seu interesse pelo atacante.

Mais do que apenas a contratação de um atleta, trata-se de duelo de forças com um “co-irmão”. Sim, para quem ainda não percebeu, o mundo do futebol é bem diferente do mundo dos negócios.

Agora, para poder contar com o jogador (que não deve nem atuar neste sábado) para o restante da temporada, o Palmeiras terá que gastar muito mais do que pretendia (e poderia). E nem era tanto dinheiro assim.

Não importa neste momento discutir o que emperrou lá atrás a negociação com o atleta, que já afirmou até mesmo aqui em Mondo Verde que deseja continuar no clube, mas tentar reverter esta situação.

Uma eventual contratação do atacante irá encher de orgulho os torcedores do São Paulo, fortalecer a sua diretoria e, ao mesmo tempo, jogar por terra todos os acertos da administração Paulo Nobre e a auto-estima do torcedor palmeirense.

Para piorar, tudo isso está acontecendo justamente no momento em que deveríamos estar ainda mais orgulhosos de nossas cores, nos preparando para as comemorações do nosso centenário. Isso é inaceitável.

Nós não merecemos passar por uma humilhação dessas. O (quase) centenário Palmeiras também não.

Abraço a todos!