Paulo Nobre economiza alguns trocados e Palmeiras perde o respeito

Finalmente pude acompanhar a entrevista concedida pelo presidente Paulo Nobre na tarde desta segunda-feira.

Creio que a idéia era encerrar de uma vez a “novela” Alan Kardec e explicar para a torcida o levou a esse final infeliz.

Mais uma vez, o presidente culpou as gestões anteriores pela situação crítica pela qual o clube atravessa e que disse que a sua missão é colocar a casa em ordem. O que não é novidade nem para quem não torce para o Palmeiras.

Disse também que hoje o Palmeiras não atrasa salários e que isso é um mérito de sua gestão. De fato, é mesmo, mas só isso não basta.

Outra coisa lembrada pelo presidente foi a “falta de ética” do rival, que atravessou a negociação que se arrastava e ficou com o jogador.

Olha, essa última declaração, embora seja verdadeira, não caiu bem. Quem não se lembra da renovação de contrato com Gilson Kleina no início do ano?

Enquanto “enrolava” o treinador, o Palmeiras foi tentar a contratação de um renomado técnico argentino, que pediu uma bolada para trabalhar no Palmeiras, como já havia feito com outros clubes do Brasil.

Perguntado sobre isso nas coletivas de imprensa, Kleina foi colocado numa situação constrangedora. Ética?

Alías, Kleina deveria ter sido demitido naquele momento e outro treinador deveria ter sido contratado logo em seguida. Estamos pagando por esse erro até hoje. E muito caro.

O Palmeiras é muito maior que o Paulo Nobre, o Alan Kardec e até o Evair Aparecido Paulino (os dois eram os principais astros daquele comercial do AVANTI).

Além dos seus títulos, o maior patrimônio do Palmeiras é a sua torcida. E esta torcida não está tão triste hoje porque perdemos um atacante, mas sim porque esse tipo de presepada fere o nosso orgulho, a nossa grandeza.

Daqui a pouco vamos ter que torcer para que um atleta não dê certo no Palmeiras para que a diretoria não o perca para um rival.

Com esse tipo de postura, o Palmeiras pode até ganhar alguns trocados, mas está perdendo o respeito. Mas a vida segue, vamos em frente…

Abraço a todos!