Partida péssima, empate péssimo, esperança continua

chamada17.gif

Palmeirense, profissão esperança. Após tomar um sol digno do deserto do Saara na cabeça, os mais de 12 mil heróis presentes na tarde de hoje no Parque Antarctica só tiveram um mísero empate de um a um como recompensa. Empate contra o Rio Claro, penúltimo colocado do “fortíssimo” campeonato paulista, com míseros seis pontos, um deles conquistados contra nós. Time tão patético que tem como técnico Márcio “Pastor” Araújo, o pior profissional que já comandou nosso glorioso time, e como camisa dez o vovô Adãozinho, aquele mesmo.

palmeirasxrioclaro.jpgE a torcida cantou e vibrou o quanto pôde, mas nem isso conseguiu fazer um time inoperante vencer uma partida tão fácil.

No começo, dava a impressão de que seria uma goleada, tal a indigência demonstrada pelo time de Rio Claro. No entanto, o Palmeiras, que entrou em campo com diversos desfalques, não conseguia se acertar em campo. Marcos teve de fazer grande defesa em chute adversário.

Aos 28 minutos da primeira etapa, Luciano desviou de cabeça boa cobrança de escanteio. Um a zero para o “esquadrão” comandado por Adãozinho. Após errar inúmeros cruzamentos, o tímido lateral esquerdo Leandro finalmente acertou um, Martinez deu um verdadeiro passe de cabeça e Paulo Baier, jogador mais lúcido do Verdão, empatou, aos 35 da primeira etapa. A zica parecia estar indo embora. Ledo engano.

No segundo tempo, mesmo com alterações (entraram Alemão, Michael e Osmar, respectivamente nos lugares de Wendel, Leandro e Florentin), o time pouco produziu, perdendo alguns gols por total incompetência. Em contra-ataques, quase o Rio Claro desempata no finalzinho. Valdívia exagerou nas firulas, Florentin decepcionou, Wendel estava perdido….Salvaram-se o seguro David, com apenas uma falha no jogo inteiro, Paulo Baier, Marcos e William. O resto é o resto. No final, sobraram vaias e gritos de “timinho, timinho”.

fabian@mondopalmeiras.net