Felipão não é mais técnico do Palmeiras. E agora?

Elenco de folga depois da derrota vexatória deste domingo. Folga para os atletas, mas a diretoria segue sob pressão. O que fazer diante desta crise que se instalou no Palmeiras? Manter tudo como está ou tomar alguma atitude drástica na base do nervosismo?

Não sei se a demissão do Felipão foi uma decisão tomada de cabeça quente, mas foi tomada no final da tarde desta segunda feira.

Vejam o que eu escrevi pouco antes de ser noticiada a demissão do Felipão, o maior técnico da história do Palmeiras:

REFORÇOS

Contratar reforços é algo que está fora de questão. Quase todas as janelas de transferência estão fechadas e nenhuma grande contratação poderá ser concretizada. 

Tente lembrar algum clube que tenha dispensado vários atletas de uma só vez nos últimos anos. Chamavam isso de “lista de dispensas”. Isso é algo que não funciona mais. No máximo, alguns titulares podem perder espaço no time e quem estiver em campo vai ter que dar conta do recado. 

TROCA DE DIRETOR

Demitir o diretor de futebol é solução caso haja um bom nome para o seu lugar, o que não é algo simples. Por mais erros que tenham sido cometidos, o Alexandre Mattos ainda é um dos principais responsáveis por esta verdadeira revolução que o Palmeiras passou nos últimos anos. Se o seu ciclo de fato acabou, cabe encontrar um outro profissional no mesmo nível ou melhor. Não conheço nenhum que esteja disponível no mercado. 

DEMISSÃO DO TREINADOR

Resta então aquele velho remédio surrado do futebol brasileiro: troca de treinadores. Se o elenco não está mais respondendo ao comandante (e não estava) ou mesmo se há algum problema interno, a tendência é tudo melhore com a troca de comando. Pelo menos por algum tempo, isso vai dar certo. 

Antes disso, no entanto, é preciso definir qual o perfil que o clube busca. De nada adianta demitir o Felipão e contratar, por exemplo, o Mano Menezes achando que o estilo de jogo será outro. Não será, é mais do mesmo. 

Enfim, não será aqui que os problemas do Palmeiras serão resolvidos, mas quem não atrapalha já ajuda. E quem é torcedor, torce pra dar certo. Sempre.

Abraço a todos!