Palmeiras X Santos: cem anos de grandes jogos, grandes craques e muita história

periquitoPela segunda vez em 2015, Palmeiras e Santos protagonizarão uma disputa de titulo importante dentro do futebol brasileiro.

Dentre os grandes clássicos do futebol brasileiro, Palmeiras e Santos e sem duvida nenhuma aquele que mais craques desfilaram pelos gramados. Foi o clássico que marcou o futebol brasileiros em seu auge – durante os anos 1960 e inicio dos 1970 –, que viu o Brasil sermos tricampeão do mundo com jogadores nas três copas vencidas naquele período.

Ademir da Guia X Pele

Academia X Super Santos

Mas engana-se aquele que apenas nos anos 60 e 70 Palmeiras e Santos abrilhantaram o futebol brasileiro.

Ainda no principio do futebol, na década de 1910, os dois clubes já mostravam o que viria a ser este confronto marcado por gênios da bola.

O Santos foi fundado em 14 de abril de 1912, por iniciativa de Raymundo Marques, Mário Ferraz de Campos e Argemiro de Souza Júnior, três esportistas da cidade, que convocaram uma assembléia, por volta das 14 horas, na sede do Clube Concórdia (localizado na Rua do Rosário – atual Avenida João Pessoa). Durante a reunião, foi discutido o nome para a agremiação, dentre as sugestões estavam: Concórdia, Euterpe e Brasil Atlético, mas os participantes da reunião, por unanimidade, aceitaram a proposta de Edmundo Jorge Araújo: a denominação Santos Foot-Ball Clube.

gazeta_ilustradaJá o Palestra Italia nasceu no dia 26 de agosto de 1914, criado pelo sonho da comunidade italiana que aproveitou a presença dos clubes Torino e Pro Vercelli na cidade de São Paulo, para por em pratica um clube que representasse a maior colônia de imigrantes na paulicéia no futebol oficial.

Estes dois clubes possuem algo em comum: ambos nasceram do sonho de seus fundadores criarem uma entidade esportiva que representasse seus respectivos adeptos, em pe de igualdade, ante os grandes clubes do futebol oficial de São Paulo, como Paulistano, AA Palmeiras, Germânia e o Mackenzie.

Partindo deste principio, não demoraria muito para que os dois clubes protagonizassem jogos decisivos. E já em 1928 eles decidiram o titulo do campeonato paulista do ano anterior, na Vila Belmiro, e o Palestra Italia venceu o Santos por 3 a 2.

A primeira partida entre os dois não traz grandes recordações para os palmeirenses, já que fomos goleados por 7 a 0, no dia 3 de outubro de 1915, jogando no campo do Velódromo, em São Paulo.

De 1915 a 2015 os números do clássico são:

  • 310 jogos
  • 131 vitórias do Palmeiras
  • 99 vitórias do Santos
  • 80 empates
  • 538 gols do Palmeiras
  • 454 gols do Santos

 

Como podemos observar o Palmeiras e o senhorio deste confronto, com boa vantagem construída ao longo destas dez décadas.

Porem, de 1958 ate 1969 que os dois clubes protagonizaram e atingiram um nível altíssimo dentro do vitorioso futebol brasileiro do período.

Vejamos os títulos conquistados nestes 11 anos:

Palmeiras: três campeonatos paulistas (1959, 1963 e 1966); 4 campeonatos brasileiros (Taça Brasil 1960 e 1967, e Torneio Roberto Gomes Pedrosa 1967 e 1969); 1 Torneio Rio – SP (1965).

Além disso, o Palmeiras chegou a duas finais de Libertadores durante o período em 1961 e 1968, ficando com o vice-campeonato nas duas oportunidades.

Santos: 10 campeonatos paulistas (1958, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968 e 1969); 6 campeonatos brasileiros (Taça Brasil 1961, 1962, 1963, 1964 e 1965, Torneio Roberto Gomes Pedrosa 1968); Torneio Rio-SP (1959, 1963, 1964 e 1966); Taça Libertadores da America (1962 e 1963); Mundial de Clubes (1962 e 1963) e Super Copa Sul-americana (1968).

Quem le este artigo pode imaginar como comparar os títulos se o Santos venceu mais que o Palmeiras, mas basta lembrar o assinante do Mondo Verde que durante os anos 60 nossos outros rivais, Corinthians e São Paulo, não venceram NENHUM campeonato importante no período.

O Corinthians, inclusive, ficou quase este período todo sem vencer um único jogo contra o time santista.

A base dos times nos anos 60 eram:

Palmeiras: Valdir; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Djalma Dias e Ferrari (Geraldo Scotto); Dudu e Ademir da Guia; Julinho Botelho (Dario), Servilio (Vavá), Tupãzinho (Ademar Pantera) e Rinaldo (Cesar Maluco)– técnicos: Filpo Nunes e Mario Travaglini

Santos: (Laércio) Gilmar; Lima (Carlos Alberto Torres), Mauro Ramos, Calvet e Dalmo; Zito (Clodoaldo) e Mengálvio; Dorval (Pagão), Pele, Coutinho (Toninho Guerreiro) e Pepe (Edu) – técnicos: Lula e Antoninho Fernandes

Confira agora outros números da historia do clássico (fonte Wikipédia)

Maiores goleadas

A favor do Palmeiras:

 

Maior empate:

Jogo com maior número de gols:

 

A favor do Santos:

 

Maiores públicos

  • Onde não estão relacionados os públicos presente e pagante, a referência é apenas aos pagantes, assim como os jogos com o estádio não relacionados foram disputados no Estádio do Morumbi. [18]
  1. Palmeiras 2×0 Santos, 127.723, 15 de outubro de 1979 (123.318p)
  2. Palmeiras 1×1 Santos, 92.443, 6 de maio de 1973
  3. Palmeiras 1×1 Santos, 91.697, 5 de agosto de 1984 (85.556 p)
  4. Palmeiras 2×2 Santos, 80.584, 21 de abril de 1983 (76.215 p)
  5. Palmeiras 2×0 Santos, 78.239, 27 de julho de 1975
  6. Palmeiras 0x1 Santos, 75.215, 14 de abril de 1983 (72.417 p)
  7. Palmeiras 1×1 Santos, 73.532, 11 de dezembro de 1977 (68.327 pagantes – Pacaembu)
  8. Palmeiras 2×1 Santos, 69.046, 26 de março de 1972 (68.812 pagantes – Pacaembu)
  9. Palmeiras 2×1 Santos, 64.770, 27 de maio de 1979 (60.076 pagantes)
  10. Palmeiras 3×2 Santos, 60.801, 29 de novembro de 1961 (Pacaembu)
  11. Palmeiras 2×0 Santos, 59.836, 27 de março de 1971 (55.886 pagantes – Pacaembu)

 

Na Era Pacaembu (1940-1970)

  • Relacionados apenas jogos até 1970
  1. Palmeiras 3×2 Santos, 60.801, 29 de novembro de 1961
  2. Palmeiras 0x3 Santos, 55.726, 13 de março de 1963

 

Nos estádios de cada clube

 

Como pode-se observar, historia e tradicao não faltam para Palmeiras e Santos.

O Palmeiras, sim, foi o único clube que enfrentou de igual para igual o Santos na Era Pele. Diferente da imprensa que tenta colocar o Botafogo do Garrinha como um grande antagonista do Santos, mas que a historia mostra que o Botafogo era constantemente derrotado (e goleado) pelo Santos durante a epoca de ouro do futebol brasileiro.

Voltando para 2015, esperamos que nesta final da Copa do Brasil o resultado final seja o inverso da final do Campeonato Paulista deste ano, e que o Palmeiras, contra todos os prognósticos da imprensa, que já esta declarando o Santos como campeão, e contra a torcida contra de jornalistas corintianos que inundam as redações de jornal, radio e televisão.

O Palmeiras precisa do título.

Abraço a todos!