Palmeiras vira o jogo e escapa de tragédia no Uruguai

Não sei nem como começar a falar sobre o que aconteceu ontem no tal Campeón del Siglo. Na mesma partida, o Palmeiras fez o pior primeiro tempo e o melhor segundo tempo desta temporada.

Depois, o Peñarol armou uma emboscada para os jogadores do Palmeiras e, caso a diretoria não tivesse levado um bom número de seguranças para o país vizinho, uma tragédia poderia ter acontecido. “Ah, mas Libertadores é assim mesmo!” Não, amigos. Isso é covardia, selvageria, barbárie.

Futebol se vence dentro de campo e não impedindo o adversário de voltar para o vestiário ou com gritos racistas. A CONMEBOL precisa dar um basta nesse tipo de coisa ou jamais conseguirá dar outro status a essa competição, que pra mim é superestimada demais.

Falando do jogo mesmo, o técnico Eduardo Baptista inventou mais uma vez. Montou a equipe num 3-4-3 absurdo e o resultado não poderia ser pior: não conseguimos criar nada e ainda levamos dois gols, sendo que um deles completamente ilegal, pois o Mina foi claramente derrubado.

Mais uma vez vimos um time com espaços enormes entre ataque e defesa, com quase (ou nenhuma) ligação entre os setores. Um dia isso precisa parar.

Bastou arrumar o time no intervalo, e o Palmeiras conseguiu virar a partida logo no começo da segunda etapa. Tchê Tchê e Wiliam “Bigode”, nosso artilheiro, entraram muito bem no jogo.

Outros jogadores que jogaram muito bem foram o Alejandro Guerra e o gigante Felipe Melo, que está sendo inclusive está sendo injustamente acusado de agressão. O que ele deveria fazer no momento em que era acossado pelos covardes do Peñarol?

Enfim, foi só o treinador fazer o simples para que o Palmeiras conseguisse bater o fraquíssimo time uruguaio. Lamento pela selvageria que tomou conta do Campeón del Siglo após a partida, mas espero que o que aconteceu sirva para unir ainda mais a equipe para conquistar esse título!

Tanto o elenco quanto o treinador foram alvo de inúmeras fofocas nos dias anteriores à partida. Na coletiva, o Eduardo Baptista desabafou, falou com muita sinceridade tudo o que sentia naquele momento e conquistou o respeito até mesmo dos torcedores que criticam insistentemente o seu trabalho.

Faça o simples e vai dar tudo certo, meu caro! Posso não concordar com todas as suas decisões dentro de campo, mas tenho certeza que você é um cara decente, do bem. É isso aí!

Abraço a todos!