Palmeiras vence o Santa Cruz no Recife

Em partida bem disputada, especialmente na etapa final, o Palmeiras se mostrou mais eficiente e venceu o Santa Cruz em Recife pelo placar de 3 a 2 na noite desta segunda-feira (3). O resultado manteve o Verdão na ponta do Brasileirão 2016, agora com três pontos à frente do Flamengo, e foi justo, se levarmos em conta a posse de bola e sua capacidade de reação.

Mesmo jogando em casa, o Santa Cruz apresentou uma proposta bem defensiva, provavelmente acreditando em algum contra-ataque, na famosa tática de “jogar por uma bola”. O Verdão desde o começo dominou as ações, e logo aos 7 minutos quase marca, com Jean chutando e a bola passando perto do gol de Edson em boa jogada ensaiada em cobrança de falta.

O Santa até que chegava eventualmente, mas com pontaria horrível, como ocorreu aos 14 e aos 18 minutos com Keno. Aos 19 minutos, Róger Guedes chutou forte e a bola desviou para escanteio. Aos 20 minutos, um bate-rebate na área do time pernambucano gerou um possível pênalti em Edu Dracena, mas a arbitragem mandou o jogo seguir.

Aos 32 minutos, enfim o Palmeiras conseguiu consolidar a sua superioridade em termos técnicos e de posse de bola. Após boa jogada e passe de Erik, Zé Roberto recebeu e, num toque lindo, estilo cavadinha, abriu o marcador. Por pouco não saiu o empate do Santa Cruz aos 34 minutos, quando Moisés cabeceou mal e quase marca contra, mas Jailson estava atento e defendeu. O goleiro também salvou boa chance nos pés de João Paulo.

O Santa Cruz voltou com muito mais volúpia para o segundo tempo e levou perigo à meta palmeirense logo aos 52 minutos, em cruzamento de Keno. Leandro Pereira, que havia acabado de entrar na vaga de Erik, teve boa chance a 1 minuto, mas chutou fraco. Grafite quase faz aos 4 minutos, mas a zaga salvou.

A pressão se manteve constante, com oportunidades de Grafite novamente aos 5 minutos e Keno aos 7 minutos, e o Verdão simplesmente não conseguia sair da pressão. E aos 10 minutos, o pior aconteceu, gol do Santa Cruz. Em boa jogada, Arthur recebeu livre na entrada da área e tocou sem chances para Jailson.

O time de Cuca não sentiu o gol e teve boa oportunidade aos 13 minutos, mas Gabriel Jesus se atrapalhou, após receber um bom passe e ficar livre. Aos 19 minutos, novamente Gabriel fica cara a cara com Edson, mas ao invés de passar, chuta em cima do goleiro, e perde outro gol precioso.

Aos 20 minutos, no entanto, não teve jeito. Leandro Pereira aproveitou rebote da defesa pernambucana e, de primeira, mandou a bola para o fundo das redes. Pena que nem deu para comemorar direito. Aos 22 minutos, Jean faz pênalti em Arthur, e aos 24 minutos, Grafite cobra com perfeição, empatando de novo.

A partir daí, a partida ficou extremamente disputada, com as equipes tentando chegar ao gol, sem no entanto criar jogadas realmente agudas. Aos 34 minutos, no entanto, em contra-ataque surgido a partir de um escorregão de um jogador do Santa Cruz, Cleiton Xavier deu bela assistência e Róger Guedes marcou.

Sem se intimidar, o time da casa continuou tentando o empate, e quase o consegue, com Grafite chutando e Jailson fazendo bela e providencial defesa. Mas foi a última oportunidade real de gol da partida, para felicidade do torcedor alviverde e tristeza dos pernambucanos, virtualmente rebaixados.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson7,5– Não teve culpa nos gols e fez defesas importantíssimas, especialmente uma aos 38 do segundo tempo em chute de Grafite.

Jean5,5– Desempenho abaixo do esperado. Vacilou no pênalti.

Edu Dracena7,0– Esbanjou experiência e garra durante a partida.

Vitor Hugo7,5– Muito bem durante todo o tempo de jogo.

Egídio6,0– Esforçado, mas fraco no apoio, que é o seu forte. Saiu aos 17 minutos do segundo tempo substituído por Cleiton Xavier-6,0, que mais uma vez deixou bastante a desejar, mas deu a assistência para o gol da vitória.

Tchê Tchê6,0– Correu e se esforço bastante, mas sem muito brilho.

Moisés7,0– Boa partida em termos defensivos e ofensivos. Um leão em campo.

Zé Roberto7,5– Um golaço no primeiro tempo, quando jogou no meio-campo, e depois bem ao voltar à lateral-esquerda.

Gabriel Jesus6,5– Infernizou a defesa do Santinha, mas estava com uma pontaria bem abaixo do habitual.

Erik6,0– Esforçado, embora sem muito brilho. Saiu no intervalo substituído por Leandro Pereira-7,0, que se deu umas vaciladas incríveis no início de sua participação no jogo, fez um gol importantíssimo, mostrando ter estrela.

Róger Guedes7,0– Muito melhor do que em partidas anteriores, teve muita garra e ainda fez o gol da vitória, de puro oportunismo. Saiu aos 37 minutos do segundo tempo substituído por Thiago Santos-sem nota, que não teve tempo para fazer muita coisa, e nem comprometeu.