Palmeiras vence o Bragantino no Pacaembu


Com um desempenho seguro e sem grande dificuldade, o Palmeiras venceu na noite desta segunda-feira (11) no “Allianz Pa-caembu” o Bragantino pelo placar de 2 a 0, em partida válida pelo Paulistão 2019. A vitória devolveu a liderança de seu grupo ao time treinado pelo Felipão, e mostrou que os nove dias após a derrota no Derby foram bem aproveitados nos treinos, apesar das claras limitações do nosso adversário.

A vitória se mostrou bem tranquila de se conquistar logo aos 7 minutos, quando Felipe Pires lançou Moisés, que colocou Dudu na cara do gol. O nosso Pequeno Gigante, de chapa, desviou a bola sem dar a menor chance para que o goleiro Alex Alves a defendesse. Com isso, a equipe interiorana não teve como se valer daquele esquema de ficar totalmente fechada na defesa, apostando nos contra-ataques. Teve de atacar e se expor.

Aí, aos 27 minutos, Dudu colocou Borja na cara do gol, com o atacante colombiano sendo derrubado pelo goleiro adversário. Pênalti, que Gustavo Scarpa converteu no melhor estilo “bola de um lado, goleiro do outro”. Aos 31 minutos, o lance mais espetacular da partida: Moisés, antes do meio-campo, percebeu Alex Alves adiantado e tentou encobri-lo, infelizmente sem conseguir. O goleiro pegou, mas os pouco mais de 20 mil presentes vibraram.

Matheus Peixoto ainda testou Fernando Prass aos 44 minutos, com um chute forte que o goleiro alviverde espalmou com grande desempenho, salvando o que seria o primeiro gol da equipe de Bragança Paulista.

O jogo manteve-se no mesmo desenho na etapa final, com Borja perdendo um gol feito, chutando para fora após rebote do goleiro para um bom chute de Dudu. Aos 5 minutos, Marcos Rocha finaliza para fora, após passe de Felipe Pires. Aos 7 minutos, Moisés realiza uma bela jogada e chuta, com o goleiro desviando para escanteio.

Dai para a frente, o que se viu foi o Verdão perdendo algumas oportunidades para ampliar o marcador, enquanto, mesmo com suas limitações, o Bragantino tentava reagir. Mas o time eternamente treinado por Marcelo Veiga abusou do direito de bater, levando alguns amarelos e ameaçando a integridade física de Gustavo Scarpa e Dudu.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass7,0– Fez duas belas defesas e se mostrou em plena forma.

Marcos Rocha7,5– Muito bem nos desarmes e no apoio ao ataque.

Antonio Carlos6,0– Regular, tomou um cartão amarelo de bobeira.

Edu Dracena6,5– Discreto e eficiente.

Victor Luis6,0– Sem muito brilho, mas lutou bastante.

Thiago Santos7,0– Impecável na marcação e sem errar passes.

Moisés7,5– Partida padrão 2016, com direito a assistência no primeiro gol, um quase golaço, eficiência na marcação e apoio ao ataque. Saiu aos 21 minutos do segundo tempo substituído por Bruno Henrique-5,5, que entrou com o jogo definido e não precisou fazer muita coisa.

Gustavo Scarpa7,5– Muito bem na armação, fez o seu gol cobrando pênalti e se mostra boa opção para o meio-campo. Saiu aos 40 minutos do segundo tempo substituído por Lucas Lima- sem nota.

Dudu8,0– Partidaça, com direito a um belo gol e ao passe que originou o pênalti sofrido por Borja. Saiu aos 33 minutos, dando sua vaga a Carlos Eduardo-sem nota.

Felipe Pires7,0– Deu início à jogada do primeiro gol e se movimentou bastante.

Borja6,5– Sofreu o pênalti que originou o segundo gol e lutou bastante, mas perdeu pelo menos dois gols absurdos.