Palmeiras vence o Bahia pelo Brasileirão

De um lado, o Bahia 100% em casa. Do outro, o Palmeiras 0% fora. Ao contrário do que os numeros poderiam indicar, o Verdão fez uma boa partida e venceu neste domingo (18) o time da casa pelo placar de 4 a 2 em Salvador, em partida válida pelo Brasileirão 2017. Se ainda mostrou deficiências e irregularidade, ao menos a equipe teve maior eficiência e disposição para conquistar a vitória.

Fernando Prass teve trabalho logo no início do jogo, aos 5 minutos com duas boas defesas seguidas, uma delas em arremate de Edigar Junio. A reaçao veio aos 6 minutos com chute de Keno para fora, após um bom contra-ataque. Aos 9 minutos, nosso goleiro novamente foi exigido e se saiu bem.

Aos 10 minutos, Guerra manda para fora, após outro contra-ataque ágil do Verdão. Aos 16 minutos, pênalti de Betão em Keno, que Róger Guedes bateu com categoria aos 17 minutos, abrindo o marcador. Aos 25 minutos, Willian chuta, a bola desvia e quase engana o goleiro Jean.

O  Palmeiras mandava no jogo, e quase amplia o marcador em cruzamento de Egidio aos 41 minutos. Aí, quando as ações pareciam dominadas, o Bahia criou boa jogada aos 44 minutos. Prass fez duas belas defesas, mas não conseguiu evitar o gol, marcado por Vinícius.

Com Tchê Tchê no lugar de Mayke, o Palmeiras voltou aparentemente sem sentir o empate sofrido no finalzinho, e marcou logo aos 2 minutos, com Róger Guedes, mas a arbitragem marcou impedimento. A seguir, no entanto, não teve jeito, com Guerra dando passe para que Keno fizesse um dos gols mais bonitos do torneio até o momento, em belo arremate.

Com o placar a seu favor, o time treinado por Cuca mostrou mais confiança, e criou diversas boas oportunidades para ampliar o marcador, com Guerra aos 15, Egidio aos 16 e Jean aos 17 minutos. O Bahia só ameaçou de fato aos 28 minutos, em cobrança de falta de Juninho que Prass pôs para escanteio.

Aí, aos 37 minutos, o gol que parecia ter vindo para definir a partida. Egidio cobrou falta, Juninho cabeceou e Mina, em cima da linha, desviou. Mas não deu tempo nem de comemorar direito. Aos 38 minutos, após uma bela defesa de Prass, João Paulo acabou marcando na jogada seguinte, em falha de Juninho.

Apesar de se entusiasmar,o time do Bahia não conseguiu criar jogadas efetivas de gol, enquanto o Palmeiras quase marca, aos 41 minutos, em chute de Willian que desviou na zaga e foi para escanteio. E aos 47 minutos, o mesmo Willian desta vez não errou, marcando um golaço que, esse sim, colocou o último prego no caixão do time da casa. Enfim uma vitória fora de casa!

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass7,5– Várias grandes defesas, uma delas logo no início do jogo, e sem culpa nos dois gols que tomou.

Mayke5,0– Discreto, o gol do Bahia saiu pelo seu setor. Saiu no intervalo dando lugar para Tchê Tchê-6,0, que se não brilhou, ao menos melhorou as coisas pelo setor direito da nossa defesa.

Yerry Mina7,0– Boa partida do nosso zagueiro artilheiro.

Juninho6,5– Uma partida que teve como destaque o gol e como ponto fraco a falha no segundo gol do Bahia, tudo em menos de dois minutos.

Egidio6,5– Muita disposição, assistência para um dos gols e boa presença ofensiva durante toda a partida.

Thiago Santos6,5– A dedicação de sempre. Saiu aos 27 minutos do segundo tempo substituído por Luan-6,0, que não foi nada mal, se levarmos em conta ter sido sua estreia com o manto sagrado alviverde após meses sem jogar.

Jean6,5– Muita disposição e ajudando na marcação e armação de jogadas.

Guerra6,5– Melhor do que em partidas anteriores, com direito a assistência para um dos gols alviverdes.

Róger Guedes7,0– Fez um gol e suou bastante a camisa. Ah, se ele fosse pelo menos um pouco menos fominha…

Keno7,0– Muita disposição, dribles e um golaço decisivo. Saiu aos 20 minutos do segundo tempo substituído por Erik-4,0, que teve performance bastante apagada.

Willian7,0– A garra de sempre, com direito a um golaço no apagar das luzes da partida.