Palmeiras vence Mogi e avança no Paulistão

Após um primeiro tempo horroroso e um segundo tempo um pouco (mas não muito) melhor, o Palmeiras ao menos conseguiu vencer o Mogi Mirim pelo placar de 2 a 1 e garantiu a sua classificação para as quartas-de-final do Paulistão 2016. O adversário, no fim das contas, será a equipe do São Bernardo, com o mando de campo ficando com o Alviverde Imponente.

O primeiro tempo equivaleu a uma aula de como não se passar bolas. Os erros de passe foram às toneladas, especialmente por parte do Palmeiras, o time grande em campo. Aos 10 minutos, o primeiro lance um pouco mais agudo, com Alecsandro desviando de cabeça para fora, após cobrança de falta.

As coisas poderiam ter sido melhores se o Verdão tivesse aproveitado melhor o gol que fez aos 14 minutos, em boa jogada concluída por Alecsandro, que aproveitou bem o rebote de chute de Robinho após passe de Allione. Time da casa tendo de se abrir, espaços podendo surgir. Um panorama bem positivo.

Só que não. Matheus Sales se precipitou e fez um pênalti besta em Roni. Lulinha (aquele) cobrou sem chances para Fernando Prass aos 20 minutos e igualou novamente o placar. Lá se foi a vantagem, de bobeira. A partir daí, o festival de erros de passe começou com tudo, para infernizar os torcedores.

Em raro momento de lucidez, Victor Luis cobrou bem falta e a bola foi na trave. Outra chance poderia ter vindo aos 39 minutos, mas Alecsandro não conseguiu dominar a bola para finalizar. E o Mogi poderia ter virado, não fosse uma cabeçada para fora de Roni aos 41 minutos e um gol incrível perdido por Keké.

Com Erik na vaga de Matheus Sales, o Palmeiras voltou tentando oferecer um futebol melhorzinho ao seu torcedor, e a coisa foi pegando no breu aos poucos, especialmente após a entrada de Lucas Barrios na vaga do inoperante Rafael Marques. Mesmo com dois pênaltis não marcados, o gol enfim saiu.

Foi com Barrios, que aos 19 minutos finalizou com precisão cirúrgica um ótimo cruzamento de Jean. Enfim o segundo tento. A partir daí, o Verdão melhorou, e poderia ter ampliado o marcador aos 24 minutos, em grande chute de longa distância de Gabriel que Mauro pôs para escanteio.

Aos 28 minutos, foi a fez de Jean testar o goleiro do Mogi, que mais uma vez salvou sua equipe de tomar o terceiro. Allione esteve na cara do gol aos 38 minutos, mas chutou para fora. E o Mogi só chegou com um pouquinho mais de força aos 43 minutos, mas Fernando Prass defendeu fácil.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,0– Partida tranquila para ele, que foi pouco exigido.

Jean6,0– Deu a assistência para o gol de Lucas Barrios e quase fez o dele.

Thiago Martins5,5– Não brilhou, mas passou na média.

Vitor Hugo6,0– Raça total mais uma vez.

Victor Luis5,0– Mandou uma bola na trave, mas mostrou falta de ritmo, óbvia para quem estava tanto tempo sem jogar.

Gabriel6,0– Bem na marcação, quase faz um belo gol de longa distância

Matheus Sales4,0– Inseguro, errou muitos passes e ainda cometeu um pênalti por pura afobação. Saiu no intervalo substituído por Erik6,5-, que fez sua melhor partida com a camisa alviverde, lutando muito, criando jogadas e ajudando na marcação.

Robinho5,5– Buscou o jogo como de praxe, mas não estava muito inspirado. Saiu aos 23 minutos do segundo tempo, dando sua vaga para Lucas5,0-, que não comprometeu.

Allione5,0– Uma atuação apenas mediana.

Rafael Marques3,0– Não há meios de o bom futebol do ex-jogador do Botafogo voltar aos bons tempos. Muito mal. Saiu aos 12 minutos do segundo tempo substituído por Lucas Barrios6,5-, que provou mais uma vez ser artilheiro mesmo, marcando o gol da vitória.

Alecsandro6,5– Fez o primeiro gol, esforçou-se muito e mostrou sua utilidade no elenco alviverde.