Palmeiras vence Inter em Porto Alegre após 19 anos

Foram 19 anos de espera, mas enfim o Palmeiras voltou a vencer o Inter em Porto Alegre. A vitória foi pelo placar de 1 a 0, merecida pela capacidade que a equipe teve de segurar o adversário. Se não tivesse perdido algumas boas oportunidades, o placar poderia até ter sido melhor. O resultado consolida o Verdão na liderança do Brasileirão, onde está desde a 9ª rodada.

Com Paulo Roberto Falcão estreando no seu comando, o Inter veio tentando manter a posse de bola e marcar firme o time rival. O Palmeiras, no entanto, mostrou-se atento para superar tais estratégias, e logo a 2 minutos, quase abre o marcador, com Gabriel Jesus tocando por cobertura para fora, livre.

Aos 10 minutos, no entanto, não teve erro. Cleiton Xavier lançou a bola na área, Gabriel Jesus não conseguiu dominar e Erik aproveitou com categoria, chutando sem chances para o estreante Marcelo Lomba, ex-Bahia.  O time da casa só chegou com algum perigo aos 17 minutos, em cruzamento de Raphinha.

Sem pressa e ágil na hora de contra-atacar, o Verdão ficou perto de ampliar o placar aos 24 minutos, quando um cruzamento perfeito de Jean foi desviado por Gabriel Jesus e passou raspando a trave adversária. Aos 27 minutos, Eduardo Sasha fez boa jogada e exigiu boa defesa de Prass. A última boa chance viria aos 46 minutos, mas Róger Guedes chutou fraco, livre, com o goleiro defendendo.

Como seria de se esperar, o Inter voltou com tudo para a segunda etapa e começou pressionando. A defesa alviverde, no entanto, soube suportar, e quase marca o segundo gol aos 7 minutos, mas Gabriel Jesus chutou para fora, em lance que poderia ter passado para Róger Guedes.

A rigor, o panorama da partida se manteve o mesmo até o final, com a equipe de Falcão especulando alguma forma de penetrar na defesa alviverde, sendo repelida de forma muito eficiente, e sem lances realmente agudos. No fim das contas, venceu a equipe que se mostrou mais consistente e eficiente.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,0– O Inter praticamente não lhe deu problemas, pois mais chutou bolas para fora do que qualquer outra coisa.

Jean6,5– Muito eficiente no apoio e na parte defensiva.

Edu Dracena7,0– Esbanjou experiência e segurança durante todo o jogo.

Vitor Hugo7,0– A sobriedade, a seriedade e a garra de sempre.

Zé Roberto7,5– De onde esse cara tira tanta energias, com seus mais de 40 anos de idade? Um fenômeno a ser estudado.

Thiago Santos6,0– Muita garra e disposição, apesar de passes errados e algumas faltas fora de hora.

Tchê Tchê6,5– O motorzinho alviverde deu conta do recado e foi muito útil nessa vitória histórica.

Cleiton Xavier6,5– Deu a assistência para o gol alviverde, embora sem jogar uma partida brilhante. Saiu aos 13 minutos do segundo tempo substituído por Dudu-5,5, que teve atuação bastante apagada.

Róger Guedes7,0– Bom na marcação, bom no ataque, bom na recomposição… Esse moleque é um achado, e ainda bem que o pessoal da seleção olímpica não o descobriu… Saiu aos 41 minutos do segundo tempo substituído por Leandro Pereira- sem nota.

Erik7,0– O garoto que veio do Goiás começa a se firmar como boa opção para o ataque alviverde. Fez o gol da vitória e se mostrou bastante útil. Saiu aos 17 minutos do segundo tempo substituído por Rafael Marques-5,5, que não brilhou mas ao menos ajudou o time na marcação.

Gabriel Jesus7,0– Muita movimentação e algumas finalizações boas, embora tenha sido fominha em um lance que poderia ter gerado gol, se ele tivesse passado para Róger Guedes. Mas não dá para reclamar.