Palmeiras vence Inter e vai à semi da Copa do Brasil

Por Fabian Chacur

Em jogo disputadíssimo, no qual esteve à frente com dois gols de diferença e chegou a ceder o empate, o Palmeiras acabou vencendo o Inter por 3 a 2 na noite desta quarta-feira (30) na Allianz Parque, resultado que classificou o Verdão para a semifinal da Copa do Brasil 2015 e de quebra liquidou um tabu de cinco anos sem vitórias sobre o time gaúcho. Ufa!

O jogo nem havia se assentado ainda e o Palmeiras já estava à frente do marcador. Em cobrança precisa de escanteio de Zé Roberto, Vitor Hugo cabeceou com decisão e abriu o placar, aos 7 minutos. O Inter tentou reagir rapidamente, e aos 11 minutos Valdivia bateu falta para defesa de Prass.

Aos 14 minutos, Robinho bateu falta para defesa tranquila de Alisson, e poucos minutos depois, teve de sair de campo, sentindo uma contusão e dando lugar a Rafael Marques. Sem muita eficiência, o time gaúcho tentou empatar a partida com Rodrigo Dourado aos 22 minutos e Anderson aos 25 minutos, mas nada aconteceu de sério.

A partida podia ter mudado de figura aos 34 minutos, quando, após cobrança de escanteio, o Inter mandou uma bola na trave, e Ernando teve o gol a seu dispor, no rebote. Sorte que o zagueiro colorado vacilou, e a zaga alviverde se livrou da pior ameaça à sua meta até aquele momento.

Melhor ainda. Saiu no contra-ataque e, aos 36 minutos, Lucas foi derrubado na área por um atrapalhado Alex. Pênalti, que o juiz marcou e Zé Roberto converteu com categoria, de perna esquerda, aos 39 minutos. Os comandados de Argel tentaram reagir, sem convicção, e Vitor Hugo quase guarda mais um aos 45 minutos, novamente de cabeça, mas desta vez a bola foi para fora.

O Palmeiras não soube aproveitar a boa vantagem que construiu na etapa inicial, e aos 12 minutos tomou um gol do Inter, de Anderson, que teve início após um pé alto do jogador não marcado pela arbitragem. Aos 15 minutos, Dudu criou boa chance e chutou forte, com a bola passando perto.

A pressão dos comandados por Argel Fucks se manteve forte, e o empate veio aos 27 minutos, após cobrança de falta que encontrou Lizandro Lopes livre. Falha do sistema defensivo alviverde. Mas, felizmente, a reação veio rápida. Allione, que havia entrado no lugar de Gabriel Jesus, cruzou com precisão para Andrei Girotto, de cabeça, colocar o time da casa novamente à frente do placar.

A partir daí, o que se viu foi o Inter pressionando e criando chances, e o Palmeiras por sua vez tendo oportunidades de matar de vez a partida em contra-ataques e não conseguindo aproveitá-las. Seja como for, o placar se manteve, e estamos em nossa segunda semifinal do ano, agora da Copa do Brasil, para encarar o Fluminense, que eliminou o Grêmio.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,0– Partida discreta, sem culpa nos gols que tomou.

Lucas6,0– Bom no apoio e esforçado na marcação.

Jackson7,0– Suou demais a camisa.

Vitor Hugo8,0– Brilhante na zaga e autor do primeiro gol da partida, em bela cabeçada e seu sétimo gol pelo Verdão.

Zé Roberto7,5– Belíssimo primeiro tempo com direito a assistência para gol e cobrança de pênalti perfeita. No segundo tempo, entregou-se de corpo e alma, e ajudou a garantir o marcador.

Amaral4,5– Fraco e atrapalhado como de praxe. Tomou o amarelinho e ficou no vestiário por prevenção, substituído por Andrei Girotto7,0-, que esbanjou raça e de quebra fez o golaço de cabeça que nos colocou na semifinal da Copa do Brasil

Arouca6,0– Partida discreta. Não comprometeu, mas poderia ter ido melhor

Robinhosem nota– Com apenas 19 minutos do primeiro tempo, saiu contundido, dando sua vaga para Rafael Marques5,0– que jogou abaixo do seu padrão habitual.

Dudu7,5– Um leão em campo, apanhando muito, tomando cartão amarelo injusto e ajudando o time a se manter no ataque.

Gabriel Jesus4,0– Outra partida muito fraca do nosso garoto de ouro. Saiu aos 25 minutos do segundo tempo substituído por Allione-7,0, que deu o belo cruzamento que terminou no gol da vitória e ainda ajudou a segurar a bola no ataque.

Lucas Barrios5,5– Lutou bastante, mas esteve tecnicamente fraco, perdendo ao menos dois gols feitos.