Palmeiras vence Grêmio de Felipão de virada em SP

Por Fabian Chacur

Reza um dos velhos clichês do futebol que vencer de virada é mais gostoso. No caso da partida realizada na noite deste sábado (11) no estádio do Pacaembu entre Palmeiras e Grêmio, nada mais verdadeiro. Pelo placar de 2 a 1, os comandados de Dorival Júnior venceram o atual time de Luis Felipe Scolari, o Grêmio, e deram um importante passo para espantar o fantasma do rebaixamento no Brasileirão 2014.

O duelo entre a melhor e a pior defesas do Brasileirão começou com o Palmeiras criando uma grande oportunidade logo de cara, aos 2 minutos, mas Cristaldo foi infeliz e chutou para longe, cara a cara. Aos 11 minutos, Matias Rodrigues deu o troco, exigindo boa defesa de Fernando Prass. Muita marcação e bola no meio-campo o tempo todo.

As 23 minutos, Wesley arriscou um chute de meia distância e a bola passa perto da meta gremista. Aos 24 minutos, é a vez de Cristaldo cabecear com perigo, em cruzamento impecável de João Pedro. Aos 29 minutos, no entanto, um vacilo no campo de ataque gerou contra-ataque que Barcos recebeu e chutou bem, para ótima defesa de Fernando Prass.

Voltando a dominar as ações na parte final da etapa inicial, o Verdão teve mais duas chances interessantes de gol, com Victor Luis em chute de fora da área aos 38 minutos e Henrique em bela cabeçada que exigiu difícil defesa de Tiago aos 46 minutos.

O Grêmio voltou melhor para a etapa final, e logo aos 8 minutos conseguiu um pênalti discutível, em bola que bateu na mão de Valdivia quando o meia estava de costas. Barcos cobrou e converteu a infração aos 10 minutos, deixando os mais de 29 mil torcedores presentes ao Pacaembu com uma forte preocupação.

Sem se intimidar, no entanto, o Palmeiras quase empata logo aos 14 minutos, em cabeçada de Valdívia após cobrança de escanteio que passou perto do gol adversário. Aí, aos 17 minutos, Barcos faz falta em Cristaldo e toma o segundo cartão amarelo, sendo expulso de campo. Esse lance se tornou um divisor de águas da partida.

Com um a mais, Dorival Júnior resolveu tirar Juninho e colocar o atacante argentino Pablo Mouche em seu lugar, aos 19 minutos. E deu certo. Logo aos 21 minutos, Valdivia cobrou falta na área gaúcha e Mouche, em um toque no mínimo esquisito, acabou fazendo o gol de empate, impulsionando o Verdão para cima do time de Felipão.

Após duas boas oportunidades perdidas, aos 26 minutos com João Pedro e aos 27 minutos com Pablo Mouche, eis que surge o gol da virada. E veio em jogada de pura raça do jovem lateral João Pedro, que insistiu, ganhou bola na entrada da área do Grêmio e chutou de esquerda. A bola desviou no meio do caminho e entrou, aos 29 minutos.

A partir daí, o time de Porto Alegre até tentou reagir, mas a raça e o empenho dos jogadores alviverdes não permitiu muita coisa aos adversários. O Palmeiras soube dominar o jogo e manter a bola em sua posse, e os últimos minutos tiveram até um grito de olé vindo da torcida alviverde, algo inimaginável há quatro rodadas. Que continue assim!!!

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass7,5– Pelo menos uma defesa importante, em chute de Barcos, e a segurança que nos faltava. Que retorno!

João Pedro7,0– Muito bem no apoio e mais efetivo na marcação. De quebra, ainda fez o gol da vitória, em jogada de pura raça e determinação.

Lúcio6,0– Vibrou muito, catimbou muito e ajudou o time a ganhar mais uma.

Tobio6,0– Fez boa dupla com Lúcio e se mostrou mais seguro do que no jogo anterior.

Juninho5,5– Muita disposição, embora não tão bem em termos técnicos. Saiu aos 19 minutos dando lugar a Pablo Mouche-6,5, que fez um gol importantíssimo e botou fogo no jogo, em sua melhor partida com a camisa alviverde.

Washington6,0– Bom nos desarmes e correto nos passes. Tem futuro!

Wesley6,0– Correu até o fim e foi bastante útil no meio-campo alviverde.

Victor Luis5,5– Muita disposição e esforço para o bem do time.

Valdivia7,5– Ótimo na criação, chamou o jogo para si e infernizou os jogadores adversários, chamando faltas e cartões para eles. Que jogue sempre assim!!! Saiu aos 45 minutos do segundo tempo para a entrada de Bernardo-sem nota, que não teve tempo para quase nada.

Cristaldo6,0– Só faltou um gol para coroar uma boa atuação repleta de dedicação, rapidez e busca de alternativas para o ataque alviverde. Deu sua vaga aos 35 minutos do segundo tempo a Leandro-sem nota, que não comprometeu.

Henrique6,0– Muita movimentação e ao menos uma finalização que merecia ter virado gol. Cada vez mais essencial no ataque alviverde.