Palmeiras vence Figueirense e entra no G-4 do Brasileirão

Por Fabian Chacur

Em partida bastante disputada e não muito recheada de oportunidades claras de gol, o Palmeiras se mostrou eficiente e venceu o Figueirense pelo placar de 1 a 0 na noite desta quinta-feira (22) na cidade de Araraquara (SP). O resultado colocou o Alviverde Imponente no G-4 do Brasileirão da série A, a apenas um pontinho do líder Cruzeiro.

Com os retornos de Wendel e William Matheus, o Palmeiras teve um início de jogo promissor, com chances de gol aos 4 minutos com Diogo e aos 7 e 9 minutos em chutes de fora da área de Wesley. A partir daí, no entanto, o time começou a errar um número alto de passes, dando chances que a equipe adversária felizmente não teve competência para aproveitar.

Aos 33 minutos, depois de muito tempo, o Verdão consegue outra boa chance de gol, evitada pelo adversário, que só foi criar algo aos 34 minutos, em arremate de Leandro Silva que possibilitou boa defesa para Fábio, até então praticamente assistindo tranquilamente a partida. Com a melhora do futebol alviverde, o gol parecia mais próximo.

Aos 36 minutos, a torcida solta o grito entalado na garganta. Após boa jogada, William Matheus cruza bem e Henrique desvia a bola para o gol do time catarinense. Wellington Santos levou perigo à meta palmeirense aos 40 minutos, mas a bola saiu, para felicidade de Fábio.

A segunda etapa presenciou o Palmeiras criando sua primeira chance clara de gol aos 10 minutos, em boa jogada de Marquinhos Gabriel cujo arremate parou nas mãos do goleiro adversário. Melhorando de produção, o Figueirense quase empata aos 20 minutos em cabeçada de Giovanni Augusto bem defendida por Fábio, outra vez em ótima noitada.

A entrada de Bernardo aos 22 minutos no lugar do apagado Mendieta pouco mudou o desenho da partida. O lance capital do jogo ocorreu aos 29 minutos, quando Everaldo aproveitou falha da defesa alviverde e ficou cara a cara com o goleiro Fábio, que com agilidade saiu bem da meta e evitou o que seria o empate da equipe catarinense.

Daí em diante, pouca coisa ocorreu, com o Figueirense ficando mais tempo de posse de bola mas sem competência para criar algo que prestasse. Victor Luis no lugar de Marquinhos Gabriel e Mazinho na vaga de Wesley ainda entrariam para ganhar tempo, com o resultado sendo mantido para alegria dos 10.870 torcedores presentes em Araraquara.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fábio7,5– Novamente uma muralha quando foi exigido, garantindo mais uma vitória para a sua equipe.

Wendel4,5– Voltou muito mal, errando diversos passes e fazendo algumas faltas típicas de quem está sem ritmo de jogo, o que lhe rendeu um cartão amarelo.

Lúcio5,5– Se por um lado continuou errando uns passes que arrepiam o torcedor, ao menos esbanjou raça e ajudou o time a garantir o resultado.

Marcelo Oliveira6,0– Correu muito, suou a camisa e ajudou a segurar o não muito eficiente ataque adversário.

William Matheus6,5– Deu a assistência para Henrique fazer o gol da vitória, marcou bem e mostrou que merece deixar Juninho no banco de reservas.

Renato6,0– Jogou de forma simples e ajudou o meio-campo alviverde a segurar o Figueirense quando foi necessário. Vai se firmando como jogador bem útil.

Wesley5,5– Embora abaixo do que pode render, ao menos colaborou na marcação e armou algumas jogadas durante a partida. Deu seu lugar aos 40 minutos do segundo tempo para Mazinho-sem nota, que não teve tempo para nada.

Mendieta4,0– Sumidão durante boa parte da partida. Saiu aos 22 minutos para dar lugar ao estreante Bernardo-4,0-, que se mostrou nervoso e ainda fora de jogo, embora dê a impressão de que será bastante útil no decorrer da temporada.

Diogo7,5– Muito ativo no setor defensivo e importantíssimo ao ajudar na marcação, desarmando várias jogadas do adversário. Vai se firmando como titular a cada partida.

Henrique8,0– Teve uma única chance real de gol e mandou pra dentro. Goleador é isso aí!

Marquinhos Gabriel7,0– Supriu a ineficiência de Mendieta na armação com boas assistências e tentativas de finalização. Saiu aos 31 minutos para a entrada de Victor Luis-5,5– que se mostrou bem útil para segurar o ímpeto adversário.