Verdão amplia vantagem sobre o segundo colocado

A tensão do palmeirense para a partida desde domingo começou na noite de quinta-feira, depois de tudo o que aconteceu em Volta Redonda. A tensão continuou na sexta-feira, com a ótima coletiva do presidente Paulo Nobre e seguiu até momentos antes do início do jogo.

Ah, sim. Pela manhã, uma reportagem esclarecedora do Esporte Espetacular, acabou com qualquer dúvida que poderia existir sobre interferência externa na arbitragem do Fla-Flu. Se o STJD pela primeira vez fizer a coisa certa (o que eu duvido), a vantagem do Palmeiras sobre o segundo colocado será ainda maior.

Sem poder contar com o Zé Roberto, que sentiu o desgaste de tantas partidas, o técnico Cuca foi obrigado a colocar Egídio na lateral-esquerda. Além disso, Cuca também colocou Fabiano na lateral-direita e Jean no meio-campo. A ousadia deu certo.

Jean fez uma ótima partida, marcou dois gols e quase fez o terceiro no finalzinho, numa cobrança de falta. O problema é que o Figueirense congestionou demais o meio-campo e estava muito difícil chegar por ali. Faltava jogar mais pelas laterais.

Para quem precisava vencer para se manter na liderança do Brasileirão, o Palmeiras criou muito pouco na primeira etapa. O goleiro Jaílson conseguiu se recuperar numa cobrança de falta de Ayrton e nos salvou de levar o primeiro gol. Geralmente, esse tipo de bola acaba indo pra dentro do gol.

Algumas outras tentativas acabaram bloqueadas por jogadores do Figueirense, mais precisamente pelo Josa, que defendeu mais que um goleiro. Se o árbitro marcasse aquela falta sobre o Dudu dentro da área, o Palmeiras teria ainda outra chance, mas ele acabou marcando falta do atacante palmeirense. Alguém entendeu?

O Palmeiras voltou melhor para a segunda etapa e criou várias chances já nos primeiros minutos. Moisés quase marcou um golaço, de letra. Gabriel Jesus levou uma cotovelada muito forte dentro da área e o juiz desta vez marcou pênalti. Jean foi lá, bateu no meio do gol e fez. 1×0.

O técnico do Figueirense resolveu abrir o time e veio pra cima do Palmeiras, mas eles erravam muitos passes e a bola não chegava ao Rafael Moura, único atacante de qualidade ali e que estava preso na marcação de Yerry Mina.

Egídio não estava bem na partida e se complicou ainda mais ao derrubar Rafael Silva, que adora fazer gols no Palmeiras, do lado direito da área. Mais um pênalti não assinalado pelo árbitro Igor Benevenuto.

Com mais espaço para atacar, o Palmeiras conseguiu fazer o segundo gol numa boa jogada de Gabriel Jesus pelo lado esquerdo e que terminou nos pés de Jean, que chutou forte, da entrada da área, e fez o seu segundo gol na partida. 2×0.

Rafael Silva ainda conseguiu fazer o seu gol de sempre contra o Palmeiras numa rara falha de Jaílson, que saiu errado numa cobrança de escanteio, mas foi o Verdão que quase conseguiu ampliar no final da partida.

O Palmeiras agora encara o Grêmio pela Copa do Brasil, no Allianz Parque. Quem vai pro jogo? Quem será poupado? Essas serão as questões que mais ouviremos nos próximos dias. Por enquanto, só quero sentir esse cheirinho da liderança no Brasileirão.

Aquele abraço a todos!