Palmeiras vence Botafogo e fica pertinho do título do Brasileirão

Foi suado. Foi sofrido. Foi disputado. Foi gostoso! Em partida digna de uma final de campeonato, o Palmeiras venceu o Botafogo na tarde deste domingo (20) pelo placar de 1 a 0 na Allianz Parque. Com o resultado, o tão sonhado título do Brasileirão poderá ser enfim comemorado após uma vitória simples contra a Chapecoense, em São Paulo. Aguenta, coração!

O Palmeiras veio a campo fortemente disposto a definir logo a partida, e dessa forma encurralou o Botafogo desde os primeiros minutos. O time carioca se fechou, e a primeira oportunidade de gol alviverde veio aos 10 minutos, em cabeçada de Vitor Hugo para fora após cobrança de uma falta.

Aos 14 minutos, Moisés cabeceia para boa defesa de Sidão, em cobrança de falta de Dudu, um dos jogadores mais ativos. Aos 20 minutos, Cleiton Xavier tentou de média distância, mas a bola foi para fora. O Botafogo só chegou com um pouco mais de perigo aos 24 minutos, com Alemão arrematando para fora.

Mantendo a pressão, o Verdão ficou perto do gol aos 27 minutos, quando Gabriel Jesus desviou para fora uma bola de Róger Guedes, e aos 29 minutos, em arremate de Dudu posto para fora pelo goleiro alvinegro. Aos 34 minutos, Moisés finaliza para fora, com belo passe de Dudu.

A partir desse momento, o Botafogo conseguiu respirar um pouco, e criou algumas oportunidades. Rodrigo Pimpão teve duas delas em seus pés, aos 39 minutos (Jailson defendeu bem) e aos 40 minutos, mandado para fora. A melhor rolou aos 44 minutos, com o zagueiro Joel Carli perdendo gol feito.

Logo a 1 minuto do segundo tempo, o Verdão quase abre o marcador, em belo cruzamento de Dudu, que exigiu boa defesa de Sidão, com Cleiton Xavier arrematando o rebote para fora. Mas o Botafogo arrepiaria a torcida alviverde várias vezes logo a seguir, com duas intervenções de Jailson aos 2 e 3 minutos.

Aos 4 minutos, Neilton fez belíssima jogada e chutou, novamente obrigado o Pantera Negra do Verdão a fazer bela defesa. Já aos 7 minutos, Camilo não arrematou com tanta força. Após tanta pressão, o Verdão enfim chegou novamente com Gabriel Jesus chutando para fora, aos 11 minutos.

Quando a partida parecia tomar contornos perigosos, mais uma vez veio aquela salvação típica de quem parece fadado ao sucesso. Em contra-ataque rápido, Dudu coloca Gabriel Jesus na cara do gol. O atacante não domina tão bem, mas se recupera a tempo de cruzar na cabeça do Pequeno Gigante, que não desperdiçou. Gol, aos 18 minutos, para delírio dos quase 40 mil torcedores.

O segundo gol quase sai aos 22 minutos, com Gabriel Jesus finalizando para fora. O Botafogo continuou lutando muito e tentando pressionar, mas não conseguia mais oportunidades agudas. Aos 34 minutos, Róger Guedes chuta, o goleiro espalma e Dudu manda para fora.

Ainda teríamos mais uma oportunidade aos 43 minutos, em cobrança de falta feita por Jean que foi para fora. Mas a partida já estava definida. Uma performance de quem se encaminha para uma conquista histórica, e que virá na base do bom futebol, da determinação, da raça e da fé dessa torcida linda.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson7,5– Marcou presença quando foi exigido. Muito seguro!

Jean7,0– Lutou muito durante toda a partida.

Yerry Mina sem nota– Com apenas 11 minutos de jogo, sentiu uma contusão e saiu de campo, substituído por Thiago Martins6,5-, que suou demais a camisa e não comprometeu.

Vitor Hugo7,0– Esbanjou raça e foi melhor do que contra o Galo.

Zé Roberto8,5– É uma honra ter um jogador com o porte de Zé Roberto honrando a nossa camisa. Muita raça, liderança e tudo de bom. Fenômeno!

Moisés9,0– Performance simplesmente espetacular, com direito a muita categoria, raça e senso de equipe. Um dos grandes nomes deste campeonato.

Tchê Tchê6,5– O nosso motorzinho não brilhou, mas não deixou o time na mão. Saiu aos 30 minutos do segundo tempo substituído por Gabriel-6,0, que ajudou a segurar o ímpeto do Botafogo.

Cleiton Xavier4,0– Mais uma vez destoou do resto da equipe, com uma atuação apagada. Saiu aos 10 minutos do segundo tempo substituído por Alecsandro-6,5, que se não foi o cara da partida, ao menos se mostrou muito mais útil para a equipe, com sua experiência e vontade.

Dudu10,0– Uma partida simplesmente brilhante desse incrível jogador, que pode não ser o maior craque do planeta, mas que é impressionante em termos de assistências, jogadas individuais e finalizações. De quebra, ainda fez o gol da vitória. Esse merece mesmo ser campeão!

Róger Guedes6,5– Ainda irregular e às vezes fominha, mas foi útil e tem tudo para ser um ótimo jogador.

Gabriel Jesus7,5– No momento mais decisivo do Brasileirão, mostra o seu valor, com o gol do empate contra o Galo e em brilhante assistência no gol de Dudu. Será que ainda vão ficar detonando o moleque?