Palmeiras vence bem o Fluminense pelo Brasileirão

Muito se discute sobre a importância de um bom elenco em um campeonato tão longo como o Brasileirão. Na noite desta quarta-feira (25), na Allianz Parque, o Palmeiras venceu o Fluminense pelo placar de 2 a 0 graças a duas alterações feitas pelo treinador Cuca no intervalo, após um primeiro tempo difícil. Foi a vitória de quem soube aproveitar melhor os seus reservas.

A partida começou com a curiosidade de se saber como seria o ataque composto por Dudu, Róger Guedes e Gabriel Jesus, sem um atacante de referência. A forma truncada como o jogo se caracterizou tirou essa curiosidade, pois as jogadas não fluíam. O primeiro chute a gol verde foi com Róger Guedes, aos 18 minutos, arrematado para fora, sem perigo.

Mais fechado e sem arriscar tanto, o Fluminense chegou com perigo aos 20 minutos, mas Fred felizmente cabeceou para fora. Aos 24 minutos, Diego Cavalieri teve falha bizarra, mas Dudu não foi rápido o suficiente para aproveitar. Róger Guedes cruzou uma bola boa aos 27 minutos, mas ninguém estava lá para aproveitar.

Aos 33 minutos, cobrança de escanteio encontrou Gum livre, mas o zagueiro felizmente cabeceou para fora. Róger Guedes teve outra oportunidade aos 38 minutos, mas chutou fraquinho. A coisa pegou mesmo no final, com Fred exigindo grande defesa de Prass aos 44 minutos e Dudu sendo travado na hora H, após bom cruzamento de Jean. Mas o 0 a 0 se manteve.

Cuca ousou e veio para a etapa final com Alecsandro no lugar de Egídio e Moisés na vaga de Cleiton Xavier. Professor Pardal verde? Nada disso, pois as mudanças se mostraram acertadas rapidamente, com o Verdão passando a pressionar com desenvoltura, sufocando o time carioca em seu próprio campo. O resultado parece que viria, e veio mesmo.

Aos 11 minutos, Vitor Hugo cabeceou com categoria e abriu o marcador, após cobrança de falta precisa de Dudu. Nem deu tempo de o Fluminense respirar, pois logo veio o segundo gol, aos 13 minutos, com Alecsandro aproveitando bem um cruzamento vindo do lado direito do seu ataque.

A partir daí, o Verdão soube administrar a partida, e os comandados por Levir Culpi não souberam superar a supremacia alviverde. O placar poderia ter sido até mais amplo, mas faltou um pouquinho de pontaria para o Palmeiras, enquanto o time carioca também não soube se valer das poucas chances reais que criou, especialmente com o sempre perigoso Fred, hoje com pontaria fraca, para felicidade dos 28.534 torcedores presentes.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,5– Tranquilo durante toda a partida, e pouco exigido pelo ataque adversário.

Tchê Tchê7,0– Em uma única partida, jogou de lateral-direito, lateral-esquerdo e volante, sempre de forma eficiente. Um achado!

Thiago Martins6,0– Seguro e simples durante todo o tempo.

Vitor Hugo7,0– Bem na defesa e ainda achou tempo para fazer o gol que abriu o caminho para a vitória.

Egídio4,0– Levou a pior em uma dividida logo no início da partida e não conseguiu jogar mais. Saiu no intervalo dando sua vaga a Alecsandro7,0-que acertou a parte ofensiva e ainda fez um gol de puro oportunismo.

Matheus Sales6,5– Sóbrio, discreto e muito eficiente.

Jean6,5– Muita garra na marcação e também no apoio ao ataque.

Cleiton Xavier4,0– Bastante apagado, até mesmo nas bolas paradas. Saiu no intervalo dando sua vaga a Moisés7,0, que deu outro ritmo ao meio-campo alviverde e se mostrou importante para a vitória final.

Dudu7,0– Após um primeiro tempo apenas regular, cresceu muito na etapa final, com direito a uma assistência para o gol de cabeça feito por Vitor Hugo.

Gabriel Jesus6,0– Se não brilhou, ao menos incomodou um pouco a zaga do Fluminense. Saiu aos 33 minutos do segundo tempo dando seu lugar a Zé Roberto-6,0, que ajudou a equipe a cadenciar um pouco mais o ritmo e a garantir o resultado.

Róger Guedes8,0– Um achado esse garoto, pois é ousado, aguerrido e talentoso. O melhor em campo.