Palmeiras vence Atlético-GO com gol de Borja

Borja pode não ter jogado uma partida memorável. Mas, ao menos, desta vez se mostrou decisivo. Com um gol seu já nos descontos do primeiro tempo, o Palmeiras venceu o Atlético-GO na noite desta quarta-feira (21) na Allianz Parque, em partida válida pelo Brasileirão 2017. Foi a segunda vitória consecutiva do Verdão no torneio, em reação mais do que esperada.

Com bastante domínio da bola, mas sem muita inspiração, o Palmeiras simplesmente não conseguia criar oportunidades reais de gol. Tanto que as primeiras ocorreram a favor do Atlético-GO, aos 18 minutos, com André Castro, e aos 18 minutos, com Roger Carvalho. Outra boa chance para o time visitante rolou aos 23 minutos, com o atacante Everaldo.

A torcida alviverde teve alguma esperança aos 27 minutos, mas Borja arrematou para fora, em boa jogada de Keno. Aos 29 minutos, novamente o time goiano chegou com perigo, mas felizmente a bola foi para fora. Aos 36 minutos, a coisa ficou feia, com Edu Dracena falhando e Everaldo felizmente chutando para fora, mesmo estando praticamente livre, na cara de Prass.

Aos 39 minutos, assustado com as oportunidades criadas pelo Atlético-GO, o Verdão chegou com um pouco mais de perigo, sendo que o goleiro tirou a bola nos pés de Róger Guedes. Aos 42 minutos, Guerra bate escanteio e a bola é rebatida pela zaga. E aos 45 minutos, enfim o gol. Róger Guedes faz bela jogada pela direita e cruza, para Borja desencantar e abrir o marcador.

Com a vantagem no placar, o Verdão voltou melhor, e logo aos 3 minutos Egídio exigiu boa defesa de Felipe, em cruzamento. Aos 9 minutos, foi a vez de Mina cabecear, para nova intervenção do goleiro adversário. Aos 16 minutos, Guerra põe Borja na cara do gol, com o goleiro salvando de forma incrível o que seria o segundo tento do atacante colombiano na partida de hoje.

A partir daí, o alviverde foi perdendo intensidade na partida, e o até então acuado Atlético-GO começou a soltar as asinhas. Aos 29 minutos, Junior Viçosa tem boa oportunidade, mas chuta fraco e Prass pega fácil. Aos 35 minutos, Dudu, que entrou no segundo tempo na vaga de Keno, perdeu gol feito, em belo cruzamento feito por Róger Guedes.

Aí, aos 36 minutos, Prass garantiu nossa vitória, quando espalmou de forma sensacional uma ótima finalização de Junior Viçosa. Aos 37 e 38 minutos, Guerra quase marca o seu, mas o goleiro pôs a primeira para escanteio, e a segunda foi mesmo para fora. Mas o placar ficou no 1 a 0 mesmo, três pontos importantíssimos para o futuro da equipe no torneio.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass8,0– Não foi muito exigido, mas a defesa que fez na fase final do jogo foi decisiva para a vitória.

Mayke6,0– Não brilhou, mas se mostrou bastante esforçado.

Yerry Mina7,0– Bem na defesa e armando boas jogadas no campo ofensivo.

Edu Dracena6,0– Regular, mas teve uma falha grotesca no primeiro tempo que quase proporcionou um gol ao time de Goiânia.

Egídio6,0– Bastante esforçado também, embora tenha caído bastante na etapa final.

Jean5,5– Não se mostrou muito adequado para a posição de primeiro volante, além de estar tecnicamente abaixo do que sabe.

Tchê Tchê6,0– Nada de excepcional, mas rendeu um pouquinho mais do que seu colega de “volância”. Saiu aos 32 minutos do segundo tempo substituído por Luan-sem nota, que não teve muito tempo para mostrar serviço.

Guerra7,5– Uma ótima partida, com direito a algumas jogadas que entusiasmaram. Só faltou o gol.

Róger Guedes7,5– O melhor do time junto com Guerra, com direito a boas assistências (incluindo a do gol da vitória) e a muita ajuda na marcação.

Keno6,5– Muita dedicação e busca por jogadas ofensivas. Saiu aos 23 minutos do segundo tempo substituído por Dudu-6,0, que após cinco partidas de fora voltou ainda fora de jogo, perdendo um gol feito, mas também criando algumas jogadas perigosas.

Borja7,0-Nada de excepcional, mas só por ter feito o gol da vitória já merece destaque, pois a função dele no time é essa, e ele a cumpriu. Saiu aos 39 minutos do segundo tempo substituído por Raphael Veiga-sem nota, que não teve tempo para fazer muita coisa.