Palmeiras vacila demais e perde para o Atlético-GO

O Palmeiras teve todas as chances do mundo para vencer o péssimo Atlético-GO na noite deste domingo (19) em Goiânia. Não só as desperdiçou, como ainda possibilitou ao adversário superá-lo. Resultado: 2 a 1 para o time da casa, em partida válida pelo Brasileirão 2012.

Mais uma vez bastante desfalcado, o time de Felipão trouxe como novidades as entradas de Roman, improvisado na lateral-direita, e o repatriado Correa. No início, as duas equipes pouco conseguiam criar. O Atlético aos poucos começou a ter algumas oportunidades, e aos 18 minutos abriu o marcador, quando Eron foi lançado e, livre, fuzilou Bruno.

Aos 19 minutos, Maurício Ramos tomou cartão amarelo. Aos 22 minutos, na primeira grande jogada alviverde, João Vitor avança pela direita e lança bem para Barcos, que, de cabeça, não dá chances para o goleiro Márcio. Empate.

Mais assentado em campo, o Verdão poderia ter virado na frente, mas Mazinho aos 34 minutos perde ótima oportunidade, enquanto Correa chuta boa bola de longe aos 37 minutos. Aos 41 minutos, o amarelo é para Thiago Heleno, que desfalcará o time no próximo jogo.

Aos 13 minutos do segundo tempo, Valdívia, até ali bastante apagado, sai e dá lugar a Obina, que logo aos 15, obriga Márcio a fazer grande defesa.

A partir daí, o Palmeiras estava com o jogo nas mãos, mas esbanjava erros nas horas das finalizações e dos passes decisivos, enquanto o fraquíssimo time goiano ensaiava encaixar um contra-ataque.

Aos 32 minutos, Patrik tem grande chance em trapalhada da defesa adversária, mas o queridinho do treinador consegue perder. E no futebol, todos já sabem, “quem não faz, toma”.

Aos 34 minutos, um cruzamento iniciado no lado direito do ataque do Atlético chega ao Patrick deles, na esquerda. O jogador ajeita para o recém-entrado Rayllan (o nome da “fera” é esse mesmo), que recebe totalmente livre e faz, aos 34 minutos, o segundo gol dos goianos.

Até o final, aquele roteiro de sempre: o Palmeiras pressionando de forma incompetente e criando apenas uma grande chance, aos 38 minutos, quando Mazinho chuta e o lateral Eron desvia a bola com a mão. Pênalti não marcado. Valeu, Meira Ricci!!!