Palmeiras tropeça na própria incompetência

Em 27 jogos, o América (RN) conseguiu 3 vitórias, 3 empates e 21 derrotas, fazendo 20 gols e tomando inacreditáveis 59. Pois nem mesmo com esse retrospecto medonho pela frente o Palmeiras conseguiu a fácil vitória que todos esperavam de um time que disputa vaga para a Libertadores 2008. Em partida na qual a incompetência do ataque alviverde atingiu o auge na competição, amargamos um empate sem gols que nos tira, mais uma vez, do G-4. Resultado que pode custar muito, mas muito caro, mesmo, para as pretensões da equipe treinada por Caio Júnior.

No início, até parecia (mais uma vez, cena recorrente neste campeonato….) que iríamos despachar facilmente o lanterninha absoluto da competição, com Caio mandando uma na trave em boa cobrança de falta e depois cabeceando para difícil defesa do goleiro Sérvulo. Max e Luiz Henrique também perderam oportunidades claras de abrir o marcador. Após levar cotovelada de um jogador adversário na cara do juiz, que nem se deu ao trabalho de parar o jogo ou dar falta, Martinez saiu da partida sangrando muito, e não teve como voltar. Com a entrada de William em seu lugar, no final do primeiro tempo, as coisas começaram a piorar ainda mais.

A segunda etapa teve como marca uma equipe confusa, tentando armar jogadas de forma desorganizada e com pouca efetividade, e um time patético como o do América obrigando Diego Cavalieri a, pelo menos, uma defesa dificílima. Mais uma vez, Caio mandou bola na trave, e os melhores momentos do Verdão vieram no finalzinho, com pelo menos três defesas salvadoras de Sérvulo. Balanço final da partida: dois pontos que não poderiam ter sido perdidos de forma alguma, e que geram obrigação total de vitórias nas próximas três partidas, pelo menos. Isso, se atingir o G-4 continuar sendo o objetivo.