Palmeiras traz ponto importante de Porto Alegre, mas dava pra ganhar…

Era jogo pra ganhar. O nervosismo dos jogadores do Grêmio saltava aos olhos mesmo antes do início da partida e deveria ser melhor aproveitado por nosso time.

Sem poder contar com o Jean, que chegou como jogador “dispensável” e hoje é quase insubstituível,Cuca improvisou o Gabriel pelo lado direito e manteve Tchê Tchê no meio campo. Não entendi bem, pois ao contrário do Tchê Tchê, Gabriel não tem nem cacoete de lateral-direito.

Nossa sorte é que o time do Grêmio insistia em atacar o Palmeiras pelo lado direito e criaram muito pouco na primeira etapa. Ah, sim…mais uma vez o Jaílson fechou o gol e fez belas defesas. A melhor chance da primeira etapa foi justamente do Grêmio, mas o goleiro palmeirense cresceu na frente do Pedro Rocha e acabou com a esperança de abrir a contagem no placar.

O Palmeiras voltou melhor no segundo tempo, conseguiu escapar da forte marcação do Grêmio e passou a ficar mais tempo no campo de ataque. Ainda assim, as melhores chances no início foram criadas pelos donos da casa. Jaílson salvou o Palmeiras mais uma vez ao tocar na bola antes que ela explodisse no travessão, numa falta batida por Edílson na intermediária.

Roger Guedes reclamou muito quando saiu para a entrada de Lucas Barrios. Reclame menos e jogue mais bola, Roger…você começou muito bem, mas segue em baixa e não vai mudar isso na base do grito e da reclamação. Ah sim, ele se desculpou depois, mas…

Com Lucas Barrios, que ainda está devendo bola, o Palmeiras ficou mais no campo de ataque. Pena que perdemos Gabriel Jesus logo em seguida, o garoto está apanhando muito desde que começou a brilhar na Seleção Brasileira e os árbitros estão deixando o pau comer impunemente.

A verdade é que só depois da saída de Gabriel Jesus é que tivemos mais facilidade para passar pela forte marcação dos volantes do Grêmio. Rafael Marques entrou bem no jogo e era bem menos visado pelos volantes e beques gremistas.

Perdemos duas chances incríveis para marcar o gol da vitória, com Dudu e Rafael Marques. O “pequeno gigante” não errou, deu um belo voleio e a bola caprichosamente tocou no travessão. Rafael Marques poderia ter tirado do goleiro e todo aquele papo de “estrela de artilheiro” poderia se repetir. Não rolou.

Diante de tudo que aconteceu na Arena do Grêmio, e também do que também não aconteceu, o empate acabou sendo um bom resultado para o Palmeiras.  Até agora, já conquistamos quatro pontos daquela chamada “sequência de fogo” do Campeonato Brasileiro.

Agora, contra o Flamengo, num Allianz Parque lotado, só a vitória interessa. Não vejo esta partida como uma final antecipada, como costumam dizer por aí, ainda tem muito jogo pela frente. Ainda assim, não podemos desperdiçar a oportunidade de meter quatro pontos de vantagem sobre o segundo colocado. AVANTI!

Abraço a todos!