Verdão sente desfalques e fica no empate

Sentindo demais a falta de Kleber e Valdívia e jogando uma partida das mais fracas, o Palmeiras acabou empatando na Arena Barueri contra o Ceará, resultado que nos mantém longe do G 3 do Brasileirão. Um a um, sendo um gol em cada tempo.

Na etapa inicial, a equipe treinada por Luis Felipe Scolari provou logo nos primeiros minutos que não estava preparada para encarar as ausências de seus dois melhores jogadores.

Com excesso de erros de passes, Lincoln não muito inspirado na criação e constante insistência na tentativa de jogar pelo meio da zaga cearense, ficava claro que a partida não seria fácil.

Mesmo assim, o Verdão até que criou algumas chances, mas a incompetência de Dinei (o “substituto” de Kleber) e Rivaldo nas conclusões tornou o gol algo difícil de ocorrer.

Por sua vez, o Ceará jogava fechado e tentando marcar sob pressão, mas sem criar nada de muito decisivo em termos ofensivos.

Aos 45 minutos, quando o empate a zero parecia inevitável, Marcos Assunção (sempre ele) bateu falta com maestria e abriu o marcador.

No segundo tempo, as entradas de Fabrício no lugar de Maurício Ramos após o intervalo e de Pierre no de Marcos Assunção (esta aos 18 minutos) tornaram o time ainda mais confuso e concentrado em seu campo defensivo.

Dessa forma, a equipe cearense cresceu em campo e começou a criar chances reais de gol, incluindo bela defesa de Deola aos 22 minutos e uma bola em nossa trave aos 24 minutos.

Aos 36 minutos, quando os nordestinos começavam a perder o fôlego, Márcio Araújo fez pênalti absurdo e desnecessário em um Magno Alves que já havia perdido a jogada.

Um minuto depois, Geraldo cobrou e empatou a partida. Só nesse momento o Palmeiras resolveu acordar e ir para cima, mas de forma estabanada, perdendo boas oportunidades graças a falta de pontaria e afobação.

Para o clássico do próximo domingo com o Corinthians, perdemos Gabriel Silva e Márcio Araújo, ambos com o terceiro cartão amarelo. Se bem que, no caso do segundo, pode ser até um reforço…