Palmeiras perde para time misto do Santos

Por Fabian Chacur

O enredo do desempenho da versão 2011 do nosso Alviverde Imponente na partida deste domingo (9) se manteve o mesmo de sempre: poucas chances de gol criadas, incrível capacidade de concluir mal o pouco que cria, defesa falhando em momentos cruciais da partida etc

A diferença básica foi que, desta vez, nenhuma bola parada conseguiu salvar a nossa pátria, e o adversário, no caso o Santos, acabou fazendo um golzinho que lhe garantiu a vitória.

Na tarde chuvosa deste domingo (9), na Vila Belmiro, o torcedor palmeirense mais uma vez foi obrigado a aturar uma atuação medíocre de seus jogadores e de seu técnico.Agora, a tal de “vaga na Libertadores” parece mais distante do que o fim da galáxia.

As duas equipes vieram com inúmeros desfalques, sendo os mais sentidos Neymar, Paulo Henrique Ganso e Elano, do time praieiro, e Kleber, Valdívia, Cicinho e Luan, pelo lado alviverde.

O início do jogo até parecia animador, mas rapidamente as equipes sucumbiram à chuva e ao desentrosamento. Nesse meio tempo, Durval quase fez de cabeça aos 3 minutos, enquanto Marcos Assunção mandou uma bola na trave santista aos 10 minutos.

Se nos primeiros 45 minutos o Palmeiras até  foi melhor, na etapa final o time literalmente despencou, permitindo que o Santos dominasse a partida, mesmo sem grande efetividade.

Aos 11 minutos, Felipão tirou o hoje fraco Maikon Leite, que ao menos era rápido e parecia uma boa arma nos contra-ataques, e colocou o inacreditável Ricardo Bueno, que consegue ficar mais de meia hora em campo sem que você consiga notá-lo, de tão inexpressivo.

Aos 26 minutos, Patrik substituiu o também inoperante Pedro Carmona, mas nada mudou. E aos 29 minutos, sai o gol do Santos, em jogada que começou de forma inacreditável.

Com a bola em jogo, Marcos Assunção foi dar uma de bom samaritano e tentar ajudar um jogador santista que caiu perto da nossa área. Detalhe: com a bola em jogo!

Dessa forma, deixou Léo livre, que, aproveitando a vacilada adversária, cruzou para Borges finalizar. Deola até foi bem na bola, mas não conseguiu evitar o gol.

Aí, a única chance real de gol alviverde saiu de bom chute de Fernandão (sua única jogada decente em toda a partida) aos 32 minutos, que obrigou Rafael a fazer boa defesa.

Tremo só de pensar como será duro agüentar esse lote de dez jogos que ainda nos restam nesse Brasileirão 2011. O horror, o horror!