Palmeiras perde para o Sport na Allianz Parque

Terrível. Eis uma palavra simples para definir a performance do Palmeiras na noite deste sábado (26) na Allianz Parque. As 25.947 pessoas presentes tiveram a infelicidade de ver um time irregular, desorganizado em campo e que conseguiu perder de virada para um time mediano que, de quebra, ainda havia sofrido com os problemas nos aeroportos em sua vinda a São Paulo. De quebra, ainda perdemos um pênalti no último minuto. 3 a 2 para o Sport foi o resultado dessa partida lamentável para nós.

O primeiro tempo mostrou o Palmeiras tentando pressionar o Sport sem muita inspiração, com o time pernambucano fechado na defesa e sem muita inspiração para arriscar um contra-ataque ou coisa que o valha. Algumas chances surgiram, mas o jogo ia morno até os 32 minutos, quando Diogo Barbosa cruzou para Keno marcar o primeiro gol alviverde.

Logo aos 4 minutos do segundo tempo, Dudu, que estava em uma noitada tecnicamente sofrível, cruzou bola nas mãos do goleiro que poderia ter sido muito mais efetiva. Aos 4 minutos, Jailson fez boa defesa em chute de Felipe Bastos. Na cobrança do escanteio, Anselmo cabeceou, a bola bateu na trave e, no rebote, já aos 5 minutos, o mesmo jogador acabou marcando.

Roger Machado tentou arrumar as coisas tirando Guerra e Lucas Lima, que estavam trombando um no outro, colocando Papagaio e Hyoran em suas vagas. Aos 24 minutos, Marcos Rocha cruza e a bola bate no travessão. Enquanto o time tentava chegar, errando muitos passes, tomou novo contra-ataque e, aos 28 minutos, Anselmo mais uma vez marcou, em uma vacilada do sistema defensivo alviverde que o deixou livre, na cara do gol.

Totalmente na base do abafa, o Palmeiras tentava o gol, mas pecava pela incompetência na hora decisiva. Mas Hyoran acertou um belo chute de esquerda aos 36 minutos, acendendo as esperanças da torcida alviverde. Mas, novamente, o time vacilou furiosamente, e aos 41 minutos, Rafael Marques, aquele, marcou de cabeça, após lance iniciado após cobrança de escanteio.

Aí, o desespero se instalou de vez, e a incompetência, também. Ainda assim, surgiu a chance do empate, em penalidade feita por Raul Prates, que tomou o amarelo e foi expulso. Mas, como último ato de uma ópera bufa, Keno bateu muito mal e Magrão defendeu, com o juiz encerrando a partida. O horror, o horror…

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson4,0– Falhou nos gols, junto com o seu sistema defensivo. Sua pior partida no Verdão, de longe.

Marcos Rocha5,5– Irregular, apesar de criar algumas jogadas durante a partida.

Antônio Carlos4,5-Sofrível.

Edu Dracena5,0– Muito abaixo do que sabe.

Diogo Barbosa5,5– Deu a assistência para um gol, mas também errou muitos passes.

Felipe Melo3,0– Muita pose e nariz empinado, além de excesso de confiança, pouquíssimo futebol. Saiu aos 42 minutos do segundo tempo, substituído por Deyverson-sem nota.

Bruno Henrique4,5– A faixa de capitão não lhe fez bem, pois foi sua pior partida no ano.

Lucas Lima4,5– Acertou umas duas boas assistências, mas também fraco no geral. Saiu aos 18 minutos do segundo tempo substituído por Hyoran-6,5, que fez um golaço.

Dudu5,0– Muito mal tecnicamente, perdeu ao menos dois gols feito, embora tenha lutado bastante.

Keno6,0– Fez um gol, mas perdeu um pênalti no último lance da partida. Lutou muito, não dá para negar.

Guerra3,0– Um horror, ainda pior do que Lucas Lima. Saiu aos 18 minutos para a entrada de Papagaio-2,0, que fez o que habitualmente Deyverson faz quando entra em campo, ou seja, rigorosamente nada.