Palmeiras perde para o Corinthians no Itaquerão

Como perder um clássico que estava no papo, contra um rival em momento técnico bastante inferior? Simples: basta entrar no jogo feio deles, não saber aproveitar o segundo tempo inteiro com um a mais, ter um desempenho burocrático e dar espaço a um adversário cansado no finalzinho. Final, Corinthians 1×0 Palmeiras, na noite desta quarta (22) no Itaquerão.

Com muita vontade e correria, o Corinthians começou o Derby a todo o vapor, e logo a 1 minutos o volante Gabriel chutou da entrada da área, com a bola passando perto da meta alviverde. Aos 4 minutos, é a vez de Maicon arrematar, mas a tentativa se mostra bem menos inspirada do que a anterior.

Aos 6 minutos, Felipe Melo acerta bom lançamento para Keno, mas Cássio sai bem do gol e defende o toque do atacante do Verdão. Fagner acerta um bom cruzamento aos 14 minutos, mas Fernando Prass consegue rebater. Aos 23 minutos, o grande lance do primeiro tempo: após jogada que se iniciou em cobrança de lateral, Keno mandou uma bomba que bateu no travessão e saiu.

O time da casa chegou novamente aos 27 minutos, em arremate de Guilherme Arana para fora. Aos 41 minutos, foi a vez de Leo Jabá tentar, mas novamente o chute passou por cima. Naquele momento, o Palmeiras já havia conseguido dar uma cadenciada na partida, freando um pouco o ímpeto corintiano.

Aí aos 45 minutos, o árbitro vacila feio, dando o segundo cartão amarelo para Gabriel, quando a falta tinha sido cometida por Maicon. O ex-jogador alviverde acabou sendo expulso, mesmo com os protestos dos seus colegas de time. E a etapa inicial acabou sem gols e sem um bom futebol.

Com Raphael Veiga dando sua vaga a Guerra, o Palmeiras conseguiu uma oportunidade de gol logo a 2 minutos, com Willian cabeceando para fora. Aos 3 minutos, Romero bate e exige boa defesa de Fernando Prass. Felipe Melo, que já havia levado um cartão amarelo, pediu para sair aos 11 minutos, substituído por Thiago Santos. Aos 12 minutos, Jean cruza e Cassio rebate.

Mina até fez um gol aos 13 minutos, mas estava impedido, e o juiz marcou, acertadamente. A pressão continuou aos 15 minutos, em boa jogada de Dudu que foi desviada para escanteio. Logo a seguir, Willian arremata e a bola mais uma vez bate na trave. Aos 19 minutos, Keno cabeceia e Cassio defende.

A partir daí, o que se viu foi o Palmeiras todo no ataque, mas de forma burocrática, só na base dos cruzamentos na área, todos rebatidos pelos esforçados jogadores corintianos, enquanto o time da casa se fechava tipo time pequeno, daqueles bem pequenos, mesmo. Mas foi dando certo.

Aí, quando o 0x0 parecia inevitável, a velha frase “desgraça pouca é bobagem” se materializou. Após cobrança de falta malfeita no campo alvinegro, o contra-ataque do time da casa se aproveitou de falhas de Guerra e de Zé Roberto, e Jô, que havia acabado de entrar, tardiamente, em campo, mostrou que não era tão tarde assim, e fez, aos 42 minutos, o gol da vitória do seu time.

No fim das contas, uma derrota dolorida, absurda, mas boa para que o elenco, o treinador, a comissão técnica, a direção e todos percebam que ainda temos muito a melhorar, se quisermos atingir os objetivos ambiciosos que determinamos no início da temporada. Temos tempo para isso.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,5– Fez boas defesas e não teve culpa no gol.

Jean5,0– Apoiou bastante o ataque, mas não acertou um único cruzamento.

Yerry Mina5,5– Quase não foi importunado, mas não estava no seu lugar na hora mais necessária da partida.

Vitor Hugo5,0– Muito nervoso, jogou abaixo do que sabe.

Zé Roberto5,5– Muito esforçado, mas falhou no lance do gol, embora não tenha sido o principal culpado.

Felipe Melo4,5– Errou muitos passes e foi bem abaixo do que costuma jogar. Saiu contundido aos 11 minutos substituído por Thiago Santos-5,0, que teve atuação razoável, mas com pouco trabalho.

Michel Bastos4,5– Bastante apagado durante todo o jogo.

Raphael Veiga4,0– Muito tímido. Saiu no intervalo dando lugar a Guerra-4,5, que até começou bem a partida, mas depois caiu bastante, e ainda vacilou feio na hora do gol alvinegro.

Dudu6,0– Fez um ótimo primeiro tempo, mas caiu demais na etapa final e entrou na pilha dos adversários.

Keno6.5– Foi o jogador mais incisivo do time, com direito a uma bola na trave e um belo chute, defendido por Cassio.

Willian6,0– Muita movimentação e uma bola na trave. Saiu aos 26 minutos do segundo tempo substituído por Alecsandro-zero, que só foi visto em campo ao tomar um cartão amarelo aos 48 minutos.