Palmeiras perde para o Botafogo em Presidente Prudente

a palmeiras x botafogo 2014

Por Fabian Chacur

Se o temor da torcida em relação ao Palmeiras para a partida da noite desta quarta-feira (28) válida pelo Brasileirão da série A, era em termos de fôlego, o que se viu foi total incompetência na hora das finalizações. Dessa forma, o medíocre Botafogo conseguiu vencer por 2 a 0 em Presidente Prudente.

Mesmo obrigado a uma verdadeira odisseia para chegar ao local do jogo, o Palmeiras mostrou muita disposição e velocidade na primeira etapa. Logo aos 3 minutos Diogo fez boa jogada e chutou com perigo. Aos 12 minutos, Marquinhos Gabriel finalizou para fora após belo cruzamento de Wendel.

Aos 21 minutos, novamente Marquinhos Gabriel mandou para fora em boa jogada de contra-ataque do Verdão. O Botafogo vivia basicamente dos lampejos de Emerson Sheik, que tomou um cartão amarelo ao se estranhar com Lúcio e fez um gol após o bandeirinha já ter marcado (mal, por sinal) um impedimento.

Por sua vez, Diogo foi claramente segurado dentro da área do time carioca, com o juiz deixando passar batido. Wesley, em boa jogada, chutou forte e obrigou o goleiro Renan a fazer grande defesa, mandando para escanteio, com um bate-rebate ocorrendo pouco depois, com o Botafogo se safando.

O Verdão voltou para o segundo tempo com Wesley levando perigo ao gol do adversário logo a 1 minutos. A partir daí, no entanto, o que se viu foi um time com domínio de bola e total incompetência na hora de criar chances reais de jogo. De quebra, abrindo espaços para contra-ataques.

E em um deles, o Botafogo conseguiu um escanteio. Após sua cobrança, em rebote, a bola sobrou nos pés de Bollati, que chutou forte, no canto de Fábio, pondo o Botafogo na frente do marcador a 15 minutos de partida. Uma cabeçada de Felipe Menezes deu trabalho a Renan, aos 21 minutos.

Se a coisa já estava feia para o Palmeiras, ficou ainda pior quando Wesley, que havia levado cartão amarelo logo aos 8 minutos, caiu na catimba do mau-caráter Emerson Sheik, tomou um segundo amarelinho e foi para o chuveiro mais cedo aos 25 minutos. O que se poderia esperar a partir daí?

Exatamente o que ocorreu. Alberto Valentim demorou séculos para tentar alguma substituição, sendo que as entradas (a partir dos 30 minutos) de Chico, Bernardo e Rodolfo nada acrescentaram ao time, que de quebra ainda tomou o segundo gol, aos 48 minutos, feito por Seballos. O horror, o horror…

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fábio6,0– Não teve chance nos gols, mas também não fez nenhuma defesa importante.

Wendel5,5– Correu muito e até acertou alguns cruzamentos. Deu lugar a Rodolfo-sem nota– aos, acredite, 44 minutos do segundo tempo. Valentim estava de gozação…

Lúcio5,0– Esforçado como sempre, avançando demais, como sempre, e nada efetivo, como sempre.

Marcelo Oliveira5,5– Muita raça e determinação, mas não adiantou muita coisa.

William Matheus5,0– Fez um primeiro tempo atrativo, mas morreu na segunda etapa.

Renato5,0– Discreto, nada além disso.

Wesley2,0– Até vinha bem na partida, em relação aos colegas, mas tomou dois cartões amarelos desnecessários, foi expulso e entregou o time à própria sorte.

Marquinhos Gabriel5,0– Teve um desempenho até bom, mas perdeu muitos gols e depois pregou. Saiu aos 30 minutos substituído por Chico- sem nota-, que não foi visto em campo.

Felipe Menezes4,5– Melhor do que em partidas anteriores, o que não significa muita coisa, e fraco nas finalizações e lançamentos, como de costume.

Diogo6,0– O mais lúcido jogador do Palmeiras em campo, fez o que pôde para ajudar o time.

Henrique4,0– Novamente não viu a cor da bola.