Palmeiras perde para o Atlético-PR na Allianz Parque

Mais uma vez a estratégia do “time misto” custa a perda de pontos importantes em um campeonato de pontos corridos como é o Brasileirão. Na tarde deste domingo (6), o Palmeiras perdeu para o Atlético-PR pelo placar de 1 a 0, e desperdiçou a chance de se consolidar no G-4 do torneio. Menos mal que, com a derrota do Flamengo para o Vitória, a equipe se manteve no quarto posto.

O início da partida foi promissor, com Borja chutando para fora chance criada após cobrança de escanteio, a 1 minutos de jogo. Mas a partir daí, a coisa foi se complicando, com o Palmeiras tocando a bola de forma improdutiva, sem conseguir vencer a boa marcação do Atlético-PR. De quebra, o time também começou a errar passes de forma excessiva.

Aos 5 minutos, Fernando Prass saiu bem e evitou que Guilherme fizesse o gol. Aos 10 minutos, Jean arriscou de longe e não se deu bem. Aos 14 minutos, novamente Guilherme tenta, mas o arremate foi fraco. E aos 17 minutos, após cobrança de escanteio, Thiago Heleno subiu de cabeça e abriu o marcador.

Se a coisa já não estava lá essas coisas, a partir daí ficou pior, com os comandados de Cuca abusando na lentidão e nos erros de passe. Aos 25 minutos, um bate-rebate na área do time paranaense acabou não dando em nada. Aos 34 minutos, Michel Bastos chuta, mas a bola vai para fora.

Permanecendo esse clima de posse de bola inútil e nada de criar jogadas, o Atlético-PR ainda chegaria com muito perigo mais uma vez, aos 46 minutos, quando Ederson ficou cara a cara com Fernando Prass, que saiu bem do gol e mandou a bola para escanteio, encerrando uma metade de jogo horrível.

Com Moisés, retornando após meses cuidando de uma contusão séria, na vaga de Raphael Veiga, o Verdão voltou um pouco melhor, embora quase tenha tomado o segundo gol em lance perigoso que Ederson felizmente chutou para fora. Aos 2 minutos, Borja fura de forma bisonha e perde ótima chance.

Aos 2 minutos, Prass faz outra boa defesa. Aos 7 minutos, Edu Dracena cabeceia para fora, enquanto o goleiro do time paraense tirou a bola nos pés de Erik, aos 11 minutos. Aos 13 minutos, foi a vez do zagueiro Antônio Carlos tentar o gol, mas novamente o goleiro Heverton conseguiu evitar o empate alviverde.

A partir daí, o Palmeiras não saiu do campo do Atlético-PR, mas não conseguia acertar uma única finalização decente, com o recorde cabendo a Borja, que teve pelo menos cinco oportunidades de gol, mas finalizou todas de forma péssima, mostrando que, infelizmente, vive uma fase medonha.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass-7,0- Evitou pelo menos dois gols certos do time paranaense, e não teve culpa no gol que decretou a derrota do Palmeiras.

Fabiano-2,0– Um verdadeiro burocrata da bola, com direito a uma avenida nas suas costas e nenhum cruzamento que preste. O horror, o horror…

Edu Dracena6,0– O mais lúcido da defesa alviverde.

Juninho-2,0– Vacilou no lance do gol do adversário e vinha fazendo péssima partida quando saiu contundido, aos 33 minutos do primeiro tempo, substituído por Antônio Carlos4,5, que teve atuação irregular.

Michel Bastos4,0– Um bom jogador que, infelizmente, sempre tem negado fogo quando o time mais precisa dele. Seu lugar, pelo visto, é no banco mesmo…

Jean4,0– Performance apagada do volante alviverde.

Zé Roberto5,5– Embora sem brilhar, ao menos se esforçou bastante.

Tchê Tchê4,0– Começou até bem, mas depois despencou ladeira abaixo.

Raphael Veiga4,0– A timidez de sempre. Saiu no intervalo substituído por Moisés-6,5, que teve uma ótima atuação se levarmos em conta o tempo que ficou fora de ação.

Erik5,0– O famoso atacante que é melhor na marcação do que na frente, com direito a perder um gol feito. Saiu aos 24 minutos do segundo tempo substituído por Deyverson-4,0, que lutou, mas não conseguiu nada de muito produtivo.

BorjaZERO!- Impressionante a capacidade que esse jogador tem de finalizar de forma péssima todas as bolas que chegam para ele. Está em uma fase realmente horrorosa. Uma pena.